Mais sete velejadores brigarão por medalhas

Alguns são experientes, como Fernanda Oliveira e Ricardo 'Bimba' Winicki, e têm boas chances de conseguir um pódio

O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2012 | 03h06

A vela, modalidade que já ganhou 16 medalhas olímpicas para o Brasil, terá mais sete representantes na raia de Weymout, além dos grandes favoritos ao ouro Robert Scheidt e Bruno Prada, da classe Star. São eles: Adriana Kostiw (Laser Radial), Jorge Zarif (Finn). Patrícia Freitas e Ricardo "Bimba" Winicki (RS:X), Fernanda Oliveira e Ana Barbachan (470) e Bruno Fontes (Laser).

O Brasil tem alguma chance de medalha com o experiente Ricardo "Bimba" Winicki, na RS:X, dono de dois títulos mundiais e de três ouros pan-americanos. Em Londres, o velejador estará disputando sua quarta Olimpíada.

No mês passado, ele viajou para a Inglaterra a fim de treinar em Weymout e testar a raia olímpica. "Fiz os últimos ajustes nesse período de treinos e pude me adaptar bem ao local. O problema é que o nível de disputa da RS:X está altíssimo com pelo menos 11 atletas brigando por pódio", avalia.

O País também tem alguma chance na 470 feminina. A velejadora gaúcha Fernanda Oliveira disputa seus quartos Jogos Olímpicos e foi medalha de bronze em Pequim, fazendo dupla com Isabel Swan. Em Londres, terá nova parceira, a também gaúcha Ana Barbachan.

Na classe Laser, Bruno Fontes é o atual vice-líder do ranking mundial da classe e suas chances de ganhar medalha são bastante razoáveis. Já Jorge Zarif, da Finn, disputa sua primeira Olimpíada de olho, na verdade, em 2016, no Rio. Londres para ele é mais para pegar experiência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.