Mais uma chance para Ganso virar titular

Paulo Henrique Ganso terá hoje mais uma oportunidade de começar uma partida e será a grande novidade do São Paulo contra o São Caetano no Anacleto Campanella, partida válida pela segunda rodada do Campeonato Paulista e que estava atrasada por causa da participação do Tricolor na fase eliminatória da Libertadores. Além do bom desempenho - com direito a gol - na vitória sobre o Ituano no fim de semana, ele contou com a lesão de Paulo Miranda, que ficará seis semanas fora em recuperação de uma artroscopia no joelho esquerdo, para ter nova chance.

FERNANDO FARO, O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2013 | 02h06

A mudança é um reflexo da situação em que Ney Franco se encontra no momento. Como Douglas, que vinha sendo aproveitado na frente, será mais uma vez recuado para a lateral, a tendência é que o treinador seja forçado a abandonar a formação com três atacantes. "Fomos pegos de surpresa com o caso do Paulo Miranda e isso faz com que o Douglas, que eu queria mais avançado, tenha de voltar para a lateral", disse o treinador.

Ele se negou a confirmar a escalação da equipe, o que indica que outras mudanças podem ocorrer. Ney Franco insinuou que pode colocar Ganso e Jadson lado a lado, com o segundo um pouco mais recuado, e Wellington, que vem jogando mal, pode ser sacado. "Ele oscilou neste começo de temporada em alguns momentos e teve alguns erros que em termos de resultados foram determinantes."

Uma das opções é tirar Wellington e transformar Jadson ou mesmo Maicon em segundo volante. "Ainda estou definindo a escalação, por isso não quero adiantar nada por enquanto."

Como ainda não encontrou a formação ideal, Ney Franco quer usar os dois jogos antes de enfrentar o The Strongest pela Libertadores para tentar definitivamente chegar a uma conclusão sobre qual é o melhor estilo de jogo para a equipe.

"O Paulista tem uma primeira fase que você joga para ajustar a equipe para as outras competições e tenta terminar entre os quatro mais bem colocados para definir as vagas em casa na fase mata-mata", justifica. Nem por isso ele deixa de tratar o jogo como importante. "Estou colocando uma equipe com muita segurança e temos de fazer nossas análises em cima de números, que até agora estão bem satisfatórios."

Quarentões. Uma das atrações da partida será o embate entre os veteranos Rivaldo e Rogério Ceni, campeões com a seleção brasileira em 2002 e que se mantêm na ativa apesar de terem completado 40 anos. O meia do Azulão foi dispensado do Tricolor depois de uma passagem sem brilho em 2011.

"Ele está num bom momento, fez gol contra Corinthians e Bragantino, está jogando como meia de ligação e chegando bastante na área. Merece cuidado", disse Ney Franco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.