Mamede ganha mais força no Judô

Luiz Carlos Novi, candidato à presidência da Confederação Brasileira de Judô (CBJ) pela chapa Conciliação Nacional levou nesta quinta-feira uma rasteira da família Mamede. Pressionados pelo cartola, os presidentes das Federações de Pernambuco (Luiz da Mota Silveira) e de Rondônia (Raimundo Faustino) retiraram a chapa de Novi, apresentadas por eles. Assim, Paulo Wanderley, da Federação Paulista, conta os dias para assumir o cargo, já que é líder da única chapa (Avança Judô) que sobrou para as eleições do dia 16."Não quero mais participar desta sujeirada", desabafou Novi, diretor de judô da Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU). "Estou chateado. Entrei nessa história para ajudar o judô e não estou acostumado com jogo político."Mamede teria fechado uma aliança com Wanderley, que prevê o pagamento das mensalidades atrasadas das federações de oposição. Em troca, Mamede interrompe as intervenções contra as entidades estaduais. "O Faustino e o Mota explicaram que estavam sendo pressionados pelos Mamede", contou Novi, que era apoiado pela família desde a dissolução da chapa da situação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.