Manchester fica perto de repetir final em Wembley

Time inglês pressionou o Schalke do início ao fim, fez 2 a 0 na Alemanha e deve voltar ao mítico estádio do título de 1968

, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2011 | 00h00

GELSENKIRCHEN

Bem que o goleiro Neuer, do Schalke 04, se esforçou. Mas o time alemão não foi páreo para um verdadeiro massacre do Manchester United, em plena Veltins-Arena, em Gelsenkirchen. Com gols de Giggs e Rooney, a equipe inglesa fez 2 a 0 fora de casa e deu um passo importantíssimo rumo à decisão da Copa dos Campeões, que está marcada para o dia 28 de maio, no Estádio Wembley, em Londres.

O Manchester United respeitou a zebra - o Schalke, que não ganha um título alemão desde 1958, e jamais havia ido tão longe na Copa dos Campeões -, impôs uma pressão irresistível desde o apito inicial e os donos da casa devem até agradecer que não tomaram uma goleada impiedosa no seu próprio campo.

Muito da esperança que resta ao Schalke os alemães devem ao goleiro Neuer, que fez pelo menos três grandes defesas nos primeiros 10 minutos e conseguiu manter o empate no primeiro tempo. Na segunda etapa, contudo, o Manchester veio ainda mais decidido a vencer e, aos 22 minutos, uma bela jogada de Rooney concluída por Giggs rompeu o bloqueio.

"Temos que admitir, sem inveja nenhuma dos nossos adversários, que não tivemos controle do jogo durante momento algum", analisou friamente o zagueiro do Schalke, Christoph Metzelder. "Fomos totalmente dominados."

Os alemães ficaram atônitos com o gol e, dois minutos mais tarde, Rooney deu números finais à partida. O Schalke vai precisar vencer por três gols de diferença em Manchester para inverter a lógica do duelo, que aponta para mais uma final dos Diabos Vermelhos em Wembley, onde levantaram o troféu da Copa dos Campeões pela primeira vez em 1968 (bateu o Benfica por 4 a 1). "Tivemos muitas oportunidades desde o início da partida. O resultado podia ter sido ainda melhor, mas ficamos muito perto da decisão", afirmou o goleiro Van der Sar, que deve se aposentar ao final da temporada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.