Mandarim express

A TV logo anuncia que, desta vez vai dar Brasil. Jura? Sem placar na tela por uma "falha gráfica chinesa", segundo a Globo, nem imagino a quantas anda o vôlei de praia entre as duas duplas brasileiras. "Está 7 para o Brasil e 5 para o outro Brasil" esclarece Luciano do Valle, na Band.Torcer a essa hora já é difícil, com Brasil duplicado então... Bom, não para os narradores de plantão, completamente derretidos por Ricardo e Emanuel. "É inexplicável essa vantagem de Fábio e Marcio", diz Galvão. "Ele deve estar sentindo o joelho", justifica Tande. "Não estamos torcendo por ninguém, mas o Emanuel vai reagir", garante Virna. Sei. E a maratona aquática toma conta da tela. "A brasileira tem chance de medalha", avisa o SporTV, complementando com: "Sabia que na água salgada e gelada temos maior flutuação?" Nossa, como aprendo com os Jogos Olímpicos! E por falar na prova: "Larissa Ilchenko mostra a Cheburashka no pódio", avisam na Globo. Susto. Sei que estão ficando chatos esses trocadilhos, mas a culpa não é minha, juro. O impropério em questão é só uma bonequinha russa.E, no vôlei, Luciano do Valle avisa: "Ponto do Brasil!!!" "Só pode ser do Brasil", corrige Galvão. Justiça seja feita, mesmo atordoado com a lavada argentina no futebol, o narrador não vacila com essa história de Brasil x Brasil. Chama os jogadores pelo nome, sem titubear. Ah, os nomes. Nunca Fábio Luiz e Márcio foram tão confundidos na vida. Guilherme Arruda, na Band, transforma a dupla em "Fábio e Márcio Luiz". No mesmo canal, minutos antes, quem venceu o jogo foi a dupla "Fábio e Luiz". Ué, cadê o Márcio? Desculpas a quem possa incomodar, mas nome duplo é coisa de mãe indecisa. Dá nisso. Tá, eu estou mal-humorada.Destaque para o salto com vara. E Robson Caetano pára tudo no SporTV com uma de suas colocações de impacto : "Sabia que esse atleta quebrou a tíbia por estresse?" Silêncio na transmissão. Ok, hora de mudar de canal. Tae kwondo com Brasil. "Chute na cabeça vale dois pontos, mas o melhor é se o atleta sentir o golpe para valer, aí vale mais", me assusta o comentarista Wander Valverde, na Globo. Nossa. Melhor torcer pelo vôlei. Galvão reclama do replay da transmissão chinesa, que é uma vez só. "Nós, quando transmitimos o mundial de vôlei, reprisamos três vezes o mesmo lance. Aqui os chineses economizam replays para o jogo ir mais rápido!" Não Galvão, os jogadores não repetem as mesmas jogadas, tá tudo gravado!E Luciano do Valle mostra a mesma habilidade em mandarim que o colega global. "A torcida está falando: ?Vamos lá, vamos lá!?", diz ele, no meio de uma gritaria indefinida, que pode ser qualquer coisa. Esnobando, pede ainda para abrir o áudio do pedido de tempo do técnico da China. Volta para Luciano, que prossegue como se tivesse compreendido cada palavra do técnico chinês enfurecido. É, esse cursinho da turma da TV está mais rápido que China in Box.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.