EFE/EPA/Kimimasa Mayama
EFE/EPA/Kimimasa Mayama

Manex Silva será o porta-bandeira do Brasil no encerramento dos Jogos de Inverno de Pequim, domingo

Esquiador será o primeiro brasileiro a disputar quatro provas olímpicas de inverno em uma única edição

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2022 | 10h53

Manex Silva é um dos destaques do Brasil nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim-2022, e será o porta-bandeira na cerimônia de encerramento, neste domingo, às 8 horas (de Brasília), no estádio Ninho do Pássaro. O esquiador será o primeiro brasileiro a disputar quatro provas olímpicas de inverno em uma única edição e bateu o recorde de pontos do país no estilo cross-country.

"É uma honra pra mim ser escolhido como porta-bandeira. Estou muito feliz pela notícia e por poder viver essa experiência única, que até agora só tive a oportunidade de ver na TV. Estava ansioso para poder participar do desfile e carregar a bandeira vai ser uma forma de agradecer a todos mundo no Brasil que acompanhou os Jogos de Inverno e torceu por nós aqui em Pequim-2022", disse Manex, em declarações publicadas pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB).

"Estamos muitos satisfeitos de indicar o Manex, tanto pela dedicação demonstrada por ele durante os Jogos para poder competir em quatro provas, quanto pelo desempenho atingido na prova de Sprint, quando quebrou o recorde brasileiro de pontos na prova. Ele é também um representante da nova geração e acreditamos que, como tivemos duas lendas na cerimônia de abertura, seria importante representarmos a renovação que tivemos na delegação aqui em Pequim. Por isso, ele será o porta-bandeira e a Eduarda Ribera, caçula da delegação, serão os atletas no encerramento", disse Anders Pettersson, chefe da Missão, que também irá participar do desfile de encerramento, citando Duda, a mais jovem da delegação, de 17 anos.

O recorde só possível porque Manex conseguiu se classificar para os Jogos Olímpicos com o índice A, abaixo dos 100 pontos FIS. Ele foi, inclusive, o primeiro brasileiro a conseguir tal feito. Aos 19 anos, já tem outras grandes marcas como o Top 40 nos Jogos Olímpicos da Juventude, em Lausanne-2020, na Suíça, sendo o melhor sul-americano na competição.

Em Pequim-2022, na prova de Sprint, a sua preferida, foi o melhor sul-americano da prova ao ficar em 71.º lugar entre 90 atletas, com 3min08s64 e 171.68 pontos FIS. Em termos de pontuação, esse é o melhor resultado de um brasileiro na modalidade em Jogos Olímpicos, superando Jaqueline Mourão (172.88) em Vancouver-2010, no Canadá.

O atleta nascido em Rio Branco, no Acre, que atualmente reside na Espanha e é treinado por Julen Garjon, ainda conseguiu completar a prova dos 15km Clássico na 90.ª colocação e foi alcançado pelos líderes na prova do esquiatlo, terminando a prova na 67.ª posição. Ele recebeu a notícia que será o porta-bandeira do Brasil na véspera da disputa da prova dos 50km Largada em Massa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.