Robin Parker / EFE
Robin Parker / EFE

Mano elogia inteligência do Brasil para superar retranca

Brasil saiu atrás no placar, mas conseguiu virada contra Bielo-Rússia

MATEUS SILVA ALVES, Agência Estado

29 de julho de 2012 | 14h02

Apesar da atuação apagada da seleção brasileira, o técnico Mano Menezes fez elogios e destacou a inteligência e a tranquilidade que a equipe teve para superar a Bielo-Rússia por 3 a 1, neste domingo, em Manchester, pela segunda rodada do Grupo C do torneio olímpico de futebol dos Jogos de Londres.

"É sempre difícil enfrentar uma linha de cinco atrás com mais três jogadores à frente dessa linha", afirmou Mano, que também elogiou o sistema defensivo da Bielo-Rússia, avaliando que os problemas enfrentados pelo Brasil foram naturais, em razão da retranca do adversário.

Diante de um time fechado, Mano avaliou que faltou atenção da defesa, o que ocasionou o gol da Bielo-Rússia. "Permitimos que eles fizessem um gol, porque, aparentemente, subestimamos a capacidade do adversário de criar jogadas de ataque", disse o treinador.

Para Mano, o Brasil teve tranquilidade para reverter a vantagem da Bielo-Rússia e conquistar a vitória após passar por um momento complicado na partida. "Depois, tivemos a calma que não tivemos no primeiro jogo e, por isso, construímos o placar", comentou.

O treinador também destacou o desempenho brasileiro no segundo tempo, quando a equipe definiu a vitória com os gols feitos por Neymar e Oscar. "Tivemos no segundo tempo mais inteligência para trabalhar a bola e construir espaço para jogar", disse Mano, satisfeito com a classificação antecipada para as quartas de final da Olimpíada.

O técnico da seleção brasileira também explicou que decidiu sacar Leandro Damião e promover a entrada de Alexandre Pato por saber que a Bielo-Rússia jogaria fechada. Ele considerou que Pato tem características que se adaptavam melhor ao estilo do adversário por trabalhar melhor com a bola no chão.

Mano, porém, negou que Pato tenha conquistado a condição de titular da seleção brasileira para a sequência do torneio olímpico. "Preciso dos dois jogadores", disse o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.