Mano encerra o ano contente

Mano Menezes está convencido de que a seleção brasileira evoluiu muito em 2012, um ano que começou muito mal para ele e terminou bem - e não por causa do título do Superclássico das Américas, que pouca importância tem, mas porque ele conseguiu montar o time que, com uma ou outra mudança, disputará a Copa das Confederações.

O Estado de S.Paulo

23 de novembro de 2012 | 02h20

"Fizemos um bom ano", disse o treinador. "Passamos nosso momento difícil, mas o presidente (da CBF) teve a compreensão e a maturidade de saber sustentar isso quando não ganhamos a medalha de ouro olímpica. E um trabalho desse porte precisa de maturidade para ser conduzido", comentou Mano, que viveu um momento muito delicado quando José Maria Marin substituiu Ricardo Teixeira no comando da CBF.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.