Mano também é culpado por atuação ruim de Ronaldo no Rio

Ronaldo não é o único culpado pela fraca atuação que teve na derrota do Corinthians para o Flamengo. Lógico que o maior culpado é o próprio Ronaldo. Ele não faz boa partida desde 8 de julho do ano passado, na vitória sobre o Fluminense, no Brasileiro, quando fez três gols diante de quase 30 mil pessoas eufóricas no Pacaembu. O time acabava de conquistar a Copa do Brasil e ocupava a 5.ª colocação no Nacional. Ronaldo já fizera 14 gols na temporada. Mas de lá para cá só o que se viu foi o camisa 9 engordar. Cirurgia na mão direita e o desdém de Dunga, a Copa da África cada vez mais distante foram alguns dos motivos que provocaram o desânimo do astro mundial, dizem. Mas o ano do centenário vem aí e a conquista da Libertadores é prioridade para o Corinthians. Estamos nas oitavas de final e Ronaldo não consegue jogar nem caminhar. Não podemos nos esquecer das limitações físicas do craque, após uma série de problemas nos joelhos. Mas chegou a dar dó seu desempenho debaixo da tempestade de quarta-feira. O maior artilheiro das Copas parecia um reserva num time de casados e solteiros.

Crítica: Wilson Baldini Jr., O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2010 | 00h00

Ronaldo desembarcou ontem em São Paulo dizendo que precisa se dedicar mais aos treinamentos. Agora? Só se ele está convencido de que o Corinthians chegará à semifinal da Libertadores em julho. Para o jogo de volta com o Flamengo, quarta-feira, no Pacaembu, não podemos esperar nada de diferente do que apareceu no Maracanã. Como disse o próprio Ronaldo, não existe poção mágica.

Mas a culpa de seu mau futebol também é de Mano Menezes. O Corinthians só jogou bem enquanto Ronaldo jogou bem. Quando Ronaldo está mal, o Corinthians vai mal. A equipe não tem um plano B. Jogadores como Bill e Edno chegaram e já foram embora. Souza e Iarley ainda não disseram o que vieram fazer. Mano abortou o esquema vencedor com três atacantes de 2009 por um 4-4-2 torto, com Danilo preso na ponta-esquerda, quase um segundo lateral. O técnico corintiano parece um jogador de damas. Vai de casa em casa. Não peça para ele jogar xadrez.

É jornalista do "Estado"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.