Mano vai focar time olímpico no 1º semestre

Técnico pretende dar atenção especial aos atletas até 23 anos, idade limite para a competição em Londres

TIAGO ROGERO / RIO, O Estado de S.Paulo

07 de dezembro de 2011 | 03h07

O primeiro semestre da seleção brasileira em 2012 será focado na preparação para a Olimpíada de Londres, em julho. Mano Menezes anunciou ontem o cronograma de jogos para o início do ano que vem. A partir de março, os atletas com idade olímpica (até 23 anos) serão prioridade. Após o fim dos Jogos de Londres, Mano espera começar a definir a equipe que disputará a Copa do Mundo de 2014.

Em fevereiro de 2012, a seleção principal terá o primeiro compromisso do ano. Por ser data Fifa, o treinador poderá convocar jogadores que atuam na Europa. Mano disse que vai manter o porcentual de atletas com idade olímpica, a exemplo do que aconteceu em amistosos este ano. Não haverá datas Fifa nos meses de março, abril e maio de 2012.

"Nesse período, vamos fazer três 'reuniões'. Vamos estudar caso a caso a possibilidade de fazer jogos ou só treinamentos, com os jogadores de idade olímpica que estiverem atuando no futebol brasileiro", disse Mano, durante entrevista no Footecon, fórum de futebol promovido por Carlos Alberto Parreira.

Em junho, mês que antecede aos Jogos, serão quatro datas Fifa e, segundo Mano, somente serão convocados jogadores de até 23 anos.

"Estaremos próximos da Olimpíada e temos de definir objetivamente e dar ritmo à equipe que vamos utilizar nos Jogos", afirmou.

Mano contou ter conversado ontem, rapidamente, com o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, que assumirá em 16 de dezembro o cargo de diretor de seleções da CBF. Os dois trabalharam juntos no clube paulista. "Termos uma pessoa mais próxima sem dúvida nenhuma é algo extremamente positivo. O presidente (da CBF, Ricardo Teixeira) tem as suas atribuições, são muitas, e é importante termos uma pessoa entre ele e a comissão técnica da seleção."

Mano considerou justa a conquista do título de campeão brasileiro pelo Corinthians.

"Vasco e Corinthians duelaram até o fim, o que dá uma ideia de quão qualificado foi o campeonato, que terminou de maneira brilhante".

Pesadelo. Perguntando sobre a expectativa para uma final do Mundial de Clubes da Fifa entre Santos e Barcelona, Mano brincou: "Bom, não temos ainda Santos e Barcelona, né? Os gaúchos que o digam (risos)", disse o gaúcho, que já trabalhou em Internacional e Grêmio. Em 2010, o Inter foi eliminado na semifinal pelo Mazembe, do Congo.

"Mas é lógico que a expectativa maior que todo mundo tem é de poder ver esse jogo. Não sei se é motivo de alegria ou de insônia. Creio que jogar contra aquele time (do Barcelona) seja uma preocupação imensa, mas o Santos tem uma grande equipe e um grande comandante, que é o Muricy (Ramalho). As equipes brasileiras têm provado a sua capacidade de saber construir bons resultados", lembrou Mano Menezes, citando as últimas conquistas de times brasileiros em Mundiais de Clubes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.