Franck Robichon/Reuters - 2014
Franck Robichon/Reuters - 2014

Maratona de Tóquio reforça segurança por temer Estado Islâmico

Competição contará com 64 'agentes policiais corredores', com idade entre 20 e 40 anos, que irão acompanhar comportamentos suspeitos

Estadão Conteúdo

20 de fevereiro de 2015 | 10h57

Os organizadores da Maratona de Tóquio, que será realizada neste domingo, prometeram nesta sexta-feira aumentarem a segurança da prova na sequência do assassinato de dois reféns japoneses pelo grupo Estado Islâmico.

"Temos realizado exercícios antiterrorismo e temos trabalhado em estreita colaboração com a polícia, por isso estamos confiantes de que realizaremos uma corrida segura", disse o presidente da prova, Koji Sakurai.

Cerca de 30 mil corredores são esperados para participar da maratona pelas ruas de Tóquio. A polícia vai estar entre esses competidores, como parte de novas medidas de segurança.

A Maratona de Tóquio contará com 64 "agentes policiais corredores", com idade entre 20 e 40 anos, que irão acompanhar movimentos ou comportamentos suspeitos. Eles usarão coletes brancos que ostentarão a palavra "polícia" e cada um vai correr cerca de 10 quilômetros, carregando cassetetes, apitos e spray de gás lacrimogêneo. Além disso, Os corredores serão proibidos de transportar garrafas de plástico.

Militantes do Estado Islâmico realizaram ameaçaram realizar ataques ao povo japonês em todos os lugares após o assassinato de dois reféns do país.

A corrida de Tóquio é um das que compõem a elite das maratonas, juntamente com as de Boston, Chicago, Londres, Berlim e Nova York. A Maratona de Boston foi alvo de um ataque terrorista que matou três pessoas em 2013.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoMaratona de Tóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.