Maratona esvaziada em S. Paulo

Atletas olímpicos não participam do evento, que tem recorde de inscritos

O Estadao de S.Paulo

31 de maio de 2008 | 00h00

Na edição em que bate recorde de participantes (cerca de 12 mil inscritos), a Maratona Internacional de São Paulo, com largada hoje, às 8h15, não terá nenhum atleta brasileiro com índice para a Olimpíada de Pequim. Marilson Gomes dos Santos, Franck Caldeira, José Teles e Marily dos Santos estão se preparando para os Jogos e, além disso, são proibidos pelas regras da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) de competirem antes da Olimpíada.Mais: os atuais campeões da prova, os quenianos Reuben Chepkwek e Jacqueline Chebor, também não vieram ao Brasil para tentar o bicampeonato. O país venceu seis das 13 edições anteriores entre os homens. No feminino, ficou no lugar mais alto do pódio em três oportunidades.Nem por isso os quenianos deixam de ser os favoritos. O Quênia terá uma equipe de 12 representantes - Charles Korir, Charles Maina, Elisha Tanui, Kenneth Kimaru Tum, Joseph Ngetich, Mutai Kipkemei, Mutai Kiprop, Nahashon Mwaniki, Rotich Philemon, Shadrak Tanui e Willy Kimutai no masculino, além de Leah Kipchumba entre as mulheres. É no feminino que residem as maiores chances do Brasil. Marizete de Paula Rezende e Maria Zeferina Baldaia, apesar de não terem conseguido índice para Pequim, já conquistaram a Maratona de São Paulo.Uma brasileira não ganha a competição desde 2005, quando Marcia Narloch venceu.Marizete, campeã em 2001, correrá sua primeira prova do ano. A goiana passou boa parte da temporada se recuperando de uma contusão no quadril. Maria Zeferina, vencedora em 2002 e recordista da prova (com 2h36min07), quer voltar a ganhar em São Paulo para recuperar a motivação - abalada com a perda da vaga olímpica.Apesar do número recorde de participantes, haverá apenas 10 deficientes físicos na 14ª edição da Maratona. O número é muito inferior aos 133 que disputaram a última Corrida de São Silvestre, por exemplo.A premiação total do evento é de R$ 76 mil e a largada será na recém-inaugurada ponte estaiada, novo cartão-postal da cidade. O ministro do Esporte, Orlando Silva, esteve em São Paulo nesta semana e foi convidado a participar do evento. Mas recusou o convite porque estará em Maringá (PR).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.