Fabrizio Bensch/ Reuters
Fabrizio Bensch/ Reuters

Marcada para setembro, Maratona de Berlim é adiada após proibição de eventos

Organizadores afirmam que terão tempo para avaliar as consequências das decisões das autoridades e definir os próximos passos

Redação, Estadao Conteudo

22 de abril de 2020 | 18h31

Os organizadores da Maratona de Berlim anunciaram nesta quarta-feira que a prova não será realizada como previsto em setembro por causa das novas restrições na cidade relacionadas à pandemia de coronavírus. As autoridades de Berlim estenderam a proibição de grandes eventos com mais de 5 mil pessoas até 24 de outubro. Mais de 62 mil pessoas participaram da maratona no ano passado. "Agora vamos lidar com as consequências, coordenar os passos adicionais e informá-los assim que pudermos", informou o comunicado.

Os organizadores disseram que terão tempo para avaliar as consequências das decisões das autoridades que impedem a realização do evento, determinando os próximos passos para definir se será possível remarcar a maratona ou simplesmente decretando o seu cancelamento neste ano.

Não houve menção a nenhum plano para restringir a participação apenas dos corredores da elite, o que poderia viabilizar a sua realização. Essa foi a solução usada pela Maratona de Tóquio, que aconteceu em 1º de março. A Maratona de Berlim é uma das provas mais rápidas do mundo. O atual recorde mundial masculino foi estabelecido por Eliud Kipchoge em 2018, com a marca e 2h01min39. A prova de Berlim faz parte das cinco maiores do mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.