Marcão valoriza participação de promessas da base na despedida do Fluminense

Equipe terminou jogo contra o Inter com sete atletas formados em Xerém

O Estado de S.Paulo

12 de dezembro de 2016 | 10h38

O empate por 1 a 1 com o Internacional rebaixou o clube gaúcho à Série B e levou o time carioca a terminar o Campeonato Brasileiro com uma série de dez jogos sem vitórias. Com o fim melancólico, restou para o técnico interino Marcão exaltar as chances dadas aos jogadores das divisões de base do time - a equipe terminou o duelo em Mesquita (RJ) com sete atletas formados em Xerém.

"Sabemos que o Fluminense revela talentos toda hora. Quando temos a oportunidade de fazer isso acontecer, temos que aproveitar. Ainda tivemos no banco o Mateus Norton e o Marquinhos Calazans. Temos que aproveitar essa mescla com os experientes e os jovens de Xerém", disse, após o duelo do último domingo.

Marcão lamentou que o Fluminense não tenha conseguido encerrar a sua sequência negativa, ainda mais que na sua avaliação o time merecia sorte melhor, pois teve bom desempenho. E ele espera que o time tenha mais êxito em 2017, quando voltará a ser comandado por Abel Braga.

"É uma pena pelo jogo que fizemos. O time criou muitas chances, mas não conseguimos segurar o resultado. Fica esperança para 2017, com a alma tricolor do Abel e uma diretoria nova, com o pensamento de deixar o Fluminense forte. O torcedor nos apoiou o tempo todo", afirmou.

O Fluminense entrou em campo para a rodada final do Brasileirão sem maiores pretensões, mas acabou envolvido no jogo mais importante da rodada, que culminou no rebaixamento do Inter. Por isso, Marcão elogiou a postura dos seus jogadores.

"Havia muita coisa em jogo, uma grande responsabilidade. Precisávamos ter respeito à história do adversário, à nossa família, aos torcedores. Isso que coloquei para os jogadores. Sabíamos que teríamos um jogo difícil, eles buscavam salvar o ano. Nosso time foi brilhante, fez uma partida em que merecia a vitória", comentou.

Com o empate de domingo, o Fluminense fechou o Brasileirão em 13º lugar, com 50 pontos, o que lhe assegurou uma vaga na próxima edição da Sul-Americana. Em 2016, o time foi campeão da Copa da Primeira Liga, caiu nas semifinais do Campeonato Carioca e nas quartas de final da Copa do Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.