Marcos volta para garantir vaga

Goleiro recebe proposta para renovar contrato, com aumento salarial, por mais dois anos

Juliano Costa, O Estadao de S.Paulo

24 de março de 2009 | 00h00

Marcos volta hoje ao gol do Palmeiras, em jogo contra o Bragantino, às 19h30, no Palestra, cheio de moral. O veterano goleiro ouviu da diretoria, na semana passada, a intenção de uma renovação de contrato por mais dois anos.O gerente de futebol Toninho Cecílio pediu ao camisa 12 que pensasse numa proposta salarial pelo novo contrato, que substituiria o que está em vigência e termina em dezembro. Marcos faz 36 anos em agosto e recebe salários de R$ 120 mil, além de uma quantia em luvas. "Não vamos oferecer menos do que ele já ganha", diz Toninho, sem abrir valores.A valorização de Marcos foi uma das bandeiras de campanha do novo presidente Luiz Gonzaga Belluzzo. Há, no clube, quem seja contra a renovação com o goleiro, acusando-o de já estar "velho", mas o dirigente bateu o pé, por entender que a imagem de ídolo deve ser valorizada ao extremo, inclusive pelo departamento de marketing - novos projetos, como aquele de 2007, do hino cantado por Marcos e outros dois queridinhos da torcida (Valdivia e Edmundo), vão surgir em breve.A ideia da criação de um busto para o goleiro ainda existe, mas só será levada à votação no Conselho Deliberativo depois que ele encerrar a carreira. O próprio Marcos se sente incomodado quando o assunto vem à tona. Sempre lembra que ainda é um jogador em atividade e, por isso, não pode virar estátua."Oferecemos um novo contrato ao Marcos porque ele teve uma temporada perfeita em 2008, livre de lesões", diz Toninho. "E é um líder nato."Este ano, porém, Marcos participou de apenas sete dos 19 jogos do time. Demorou a estrear porque fez uma pré-temporada maior que os demais, assim projetada para que ele suportasse o ano sem lesões. Marcos acabou dando azar - sofreu edemas musculares em jogos contra o Potosí e o Guarani. Bruno o substituiu e diz que não se importa em ceder novamente o lugar ao experiente colega. E Vanderlei Luxemburgo garante: o camisa 12 é titular absoluto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.