Marílson corre em Hamburgo para poder escolher entre Pan e Mundial

Há quase dois anos sem completar uma maratona, Marílson Gomes dos Santos ainda não tem índices para disputar o Mundial de Pequim (China) e os Jogos Pan-Americanos de Toronto (Canadá). A última chance é na Maratona de Hamburgo (Alemanha), neste domingo, uma vez que o prazo para classificação termina no próximo dia 10 para o Pan e no dia 24 para o Mundial.

Estadão Conteúdo

24 de abril de 2015 | 14h53

Como serão apenas 27 dias entre a maratona do Pan e a do Mundial, dificilmente um mesmo atleta participará de ambas. A prioridade de escolha será definida pelo ranking brasileiro, considerando os resultados de 2014 e 2015. A lista é liderada por Franck Caldeira (2h12min04), com Solonei Rocha da Silva em segundo (2h13min15) e Ubiratan Jose dos Santos em terceiro (2h16min22). São duas vagas para o Pan e três para o Mundial.

"Depois da competição (em Hamburgo) vamos conversar, eu e o (técnico) Adauto (Domingues), e decidir se corro o Pan, o Mundial ou nenhuma das duas competições. Vamos ver o que é melhor para nós, tecnicamente, para eu chegar competitivo em 2016", explicou Marílson, que precisa ser mais rápido que Solonei para poder escolher.

De acordo com o fundista, mesmo precisando assumir uma das duas primeiras posições do ranking nacional, ele não vai arriscar. "Quero ver como estou e vou fazer uma prova conservadora, mas para atingir os tempos fixados por nós. Quero completar a prova", observou Marílson, que traçou como meta uma marca entre 2h09min e 2h11min.

Em material enviado pela assessoria de imprensa do corredor, o técnico Adauto Domingues indicou que, se puder escolher, Marílson deve optar por ir a Toronto em detrimento ao Mundial. Afinal, no Pan tem mais chances de ir ao pódio e dar visibilidade aos seus patrocinadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.