Marilson: última prova antes dos Jogos

Atleta corre hoje Meia Maratona de Bogotá, na qual é um dos favoritos

O Estadao de S.Paulo

26 de julho de 2008 | 00h00

Cerca de 32 mil atletas vão participar hoje da Meia Maratona de Bogotá. Entre eles estará o brasileiro Marilson Gomes dos Santos, que vai usar a prova na Colômbia como preparação para os Jogos de Pequim. Entre os favoritos, o brasileiro tem o melhor tempo da distância: 59min33s.O atleta já está há duas semanas na Colômbia, treinando na cidade de Paipa, a 2600 metros do nível do mar. É que a altitude exerce sobre o organismo efeito semelhante ao da poluição de Pequim. "Nas duas situações (altitude e poluição), o corpo sofre fadiga antes do previsto", explicou o maratonista, antes de embarcar. "Por isso, vou treinar na Colômbia."O técnico de Marilson, Adauto Domingues, acredita que o período de treinamentos na altitude possa ser decisivo na prova olímpica. "Em condições normais, o Marilson não seria um dos favoritos", admitiu. "Mas com a poluição, todos vão ter alguma queda de rendimento e a do Marilson pode ser menor."OLHO EM PEQUIMApós a prova na Colômbia, o brasileiro segue para Pequim, onde espera se adaptar ao fuso horário e às condições climáticas a tempo da maratona - última prova dos Jogos, no dia 24.O principal adversário de Marilson deve ser o marroquino Ridouane Harroufi, que tem como melhor marca 1h01min37s. "Estou pronto para vencer", declarou o marroquino, que neste ano ganhou várias provas de 10 mil metros nos Estados Unidos, onde treina. "Venho de uma preparação muito forte, especialmente focada para esta prova."Mas a maior delegação, como costuma acontecer em provas de longa distância, será a do Quênia. Isaac Macharia, de 27 anos, é o atual campeão da Meia Maratona de Bogotá - título que também conquistou em 2004. No ano passado, Macharia venceu a prova com o tempo de 1h00min48s. Acima, portanto, da melhor marca de Marilson.Neste ano, o queniano chegou em segundo na Maratona de Dubai, atrás apenas do etíope Haile Gebrselassie, recordista mundial da distância.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.