Marinha dá suporte a Eldorado/Brasilis

O apoio da Marinha do Brasil para a regata Eldorado/Brasilis inclui a participação do veleiro "Quiricomba/Opportunity" e de um rebocador que dará suporte à competição. Para o empresário e ex-velejador Carlos Brancante, responsável pelos contatos entre a organização do evento e a Marinha, o sucesso da terceira edição da prova, a partir do próximo dia 19 de janeiro, está garantido."Não tenho dúvida de que a participação da Marinha será tão eficiente como no ano passado e este ano", explicou Carlos Brancante.A Eldorado/Brasilis é a maior regata nacional de vela oceânica de longo percurso. São 1260 milhas náuticas (2336 quilômetros) entre Vitória, Ilha de Trindade e Vitória, competindo apenas em mar aberto."Esta regata é um teste para valer. Ela dá gabarito aos velejadores e tripulações para competições internacionais como a Cidade do Cabo/Rio e outras. E, ao contrário do que temos aqui, ela não é feita junto à costa, o que aumenta o grau de dificuldade", afirmou Carlos Brancante.Em regatas como a Buenos Aires/Rio ou Santos/Rio, por exemplo, os barcos não se afastam mais do que 30 milhas náuticas (55,5 quilômetros) da costa. Na Eldorado-Brasilis, os veleiros navegam em uma rota perpendicular à costa até a Ilha de Trindade, a 630 milhas do litoral do Espírito Santo. Por isso, o planejamento é difícil."Esta é uma rara oportunidade de termos um contato mais estreito com esta região brasileira que é quase desconhecida da população brasileira?, revelou Carlos Brancante.O veleiro "Touchê", de Ernesto Breda, que este ano não competirá, estabeleceu o recorde do percurso em janeiro de 2001, completando a prova em 181 horas. Segundo Brancante, se as condições meteorológicas favorecerem, esta marca pode cair em 2002. "O vencedor deste ano competiu a uma média de 6.6 nós por hora.Dependendo da intensidade dos ventos, é possível aumentar esta velocidade para 8 nós por hora (cerca de 14,5 Km/h). E, nesse caso, o primeiro colocado completaria a prova em 160 horas."Para o ex-velejador, há ainda outro argumento para a expectativa de uma nova marca: a presença do trimarã "Barracuda". "Este é um tipo de veleiro muito veloz. Ele tem condições de estabelecer um tempo mais curto para a prova", avaliou Brancante. Como os multicascos são mais rápidos, eles terão uma classificação a parte, inclusive com recorde de tempo apenas para a classe. A organização da prova definiu também que haverá uma fita azul para os monocascos e outra para os multicascos.A empresa W60 confirmou nesta quinta-feira a substituição do veleiro "Sunmar", de 33 pés, do comandante Fernando Von Sydow Bittencourt, pelo "Lula", um Jenneau de 44 pés, modelo sunkiss fabricado em 1991, de Francisco José Gonçalves de Abreu, cuja tripulação será a mesma do "Sunmar". O "Lula", segundo Fernando Luigi, da W60, é um dos barcos com capacidade para quebrar o recorde do "Touchê". "Este é um veleiro moderno, de ótimos recursos, que pode completar o percurso em menos de 181 horas.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.