Marketing da Copa União de futebol ajuda a vender a idéia

Para vender a Supercopa, a Associação de Clubes do Basquete Brasileiro buscou assessoria na área de marketing com João Henrique Areias. O especialista foi um dos responsáveis pela comercialização da Copa União de futebol, campeonato nacional paralelo realizado pelo Clube dos 13 em 1987. "Fui chamado para orientar os clubes sobre como conduzir propostas nas negociações com a TV", comenta Areias, que compara o movimento do basquete ao do futebol - na ocasião, o torneio vencido pelo Flamengo teve apoio da TV Globo, da Coca-Cola e da Varig, entre outros grupos.Areias já trabalhou com o basquete. Em 1995, implantou o Nacional da Confederação Brasileira. Dois anos depois, quando Gerasime Grego Bozikis assumiu a presidência da CBB, o contrato foi rompido unilateralmente - a decisão custou o pagamento de ações ganhas por Areias na Justiça. Na época em que formatou o Nacional, Areias e a CBB tinham contratos com SporTV (US$ 2 milhões), Reebok (US$ 1 milhão), Bolas Molten (2.000 bolas) e Unisys (estatística).Por enquanto, a Supercopa tem custo de R$ 500 mil, valor que os clubes estão dispostos a bancar, mesmo que não consigam patrocínio. Duas emissoras de televisão (uma de sinal aberto e outra por assinatura) negociam a transmissão - um dos contratos deve ser concretizado amanhã. Como o basquete é atualmente um produto desvalorizado, Areias propôs parcerias às TVs. "A venda de propriedades de vídeo e quadra pagaria as transmissões e os custos dos clubes."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.