Massa diz não ligar para pressão da Ferrari

Os treinos para o Mundial de 2012 se intensificam e, ao que parece, a Red Bull continua sendo a equipe mais forte, com a McLaren em seu encalço. Notícia ruim para a apreensiva Ferrari e pior ainda para Felipe Massa, que desde o ano passado convive com boatos de que não terá renovado o seu contrato, que acabará no fim do ano.

O Estado de S.Paulo

27 de fevereiro de 2012 | 03h05

Massa diz a todo momento que não se sente pressionado, mas até mesmo o chefe da equipe italiana, Stefano Domenicali, afirmou que 2012 será um ano fundamental para o brasileiro. "Estou contando muito com o fato de que Felipe vai lutar bastante, pois ele sabe que precisa nos provar o real valor dele", falou Domenicali, em 2011.

A Ferrari já informou que a decisão sobre a renovação do contrato de Massa será tomada na metade da temporada. Ele, no entanto, jura que não está se sentindo pressionado. "Eu quero ser competitivo e estar pronto para lutar pelos objetivos principais, que são vitórias e resultados", comentou o piloto.

O desempenho do novo carro da Ferrari, o F2012, não foi bom nos primeiros treinos da pré-temporada, o que deixou a equipe muito apreensiva.

Porém, o brasileiro ficou mais animado depois dos treinos da semana passada. "Temos muito trabalho pela frente, mas só vamos descobrir como estamos quando todos correrem com pouco combustível, pneus macios e ao mesmo tempo na pista, o que vai acontecer durante a classificação em Melbourne", disse ele - o Mundial começará na Austrália, no próximo dia 18.

Se nada der certo para Massa neste ano, assim como em 2010 e 2011, a equipe italiana já tem um plano B: o polonês Robert Kubica, que está em fase final de recuperação de um grave acidente sofrido em uma prova de rali em fevereiro do ano passado. Se Kubica estiver em condições de voltar a pilotar um carro de Fórmula 1, então provavelmente Massa terá de buscar outro emprego em 2013.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.