Massa: maratona de compromissos

Brasileiro tem participado de vários eventos de patrocinadores

Daniel Brito, O Estadao de S.Paulo

30 de outubro de 2008 | 00h00

Na sua quarta aparição em eventos promocionais em 72 horas, Felipe Massa minimizou os efeitos do exposição excessiva. Na manhã de ontem, ele permaneceu por 50 minutos no estande da Ferrari, no Salão do Automóvel. Na segunda-feira, visitou crianças de uma escola na zona sul de São Paulo, depois promoveu um almoço para a imprensa brasileira e, no fim da tarde, andou de kart na Granja Viana, ao lado de Rubens Barrichello. Na terça, não fez aparições públicas. "Isso é normal, como em toda semana que antecede ao GP do Brasil", garantiu. Hoje ele participa de mais duas entrevistas coletivas, a primeira no Hotel Transamérica, promovida por um patrocinador, em seguida no autódromo, da FIA, em uma espécie de apresentação da prova. "Contando de um domingo ao outro, acho que vou participar de uns 30 eventos agendados. Mas aí eu conto também reuniões com a equipe, os treinos e a própria corrida no domingo", calculou. "O ano mais apertado foi 2006, por ser a primeira vez que eu corria de Ferrari no Brasil." Vice-líder do campeonato com 87 pontos, Massa precisa vencer e torcer para que Lewis Hamilton, com 94, não fique entre os cinco primeiros para conquistar o título. Desde que desembarcou no Brasil, terça-feira, Hamilton tem adotado comportamento oposto ao do rival. Apenas dois compromissos com patrocinadores, nada de entrevistas, nem passeios. Ontem, passou o dia jogando golfe. "Não sei qual é a agenda do Hamilton, mas na véspera da corrida na Inglaterra (em Silverstone) ele teve rotina tão ou mais atribulada que a minha no Brasil", disse o piloto da Ferrari. Massa evidencia que a rotina de entrevistas é repetitiva. Mesmo assim, ainda teve paciência para explicar a uma jornalista sua situação no campeonato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.