Massa mostra preocupação no 2º dia de testes na Ferrari

Brasileiro alega que tudo é novo no modelo 2012, por isso as dificuldades para acumular os dados e entender o carro

LIVIO ORICCHIO, O Estado de S.Paulo

09 de fevereiro de 2012 | 03h07

O modelo F2012 da Ferrari pode vir a ser um carro capaz de levar Fernando Alonso e Felipe Massa a lutar pelas vitórias. Mas, diante das inúmeras novidades técnicas incorporadas pelo coordenador do projeto, Nikolas Tombazis, Massa afirmou ontem, depois do segundo dia de testes, em Jerez de la Frontera, na Espanha: "Temos um longo trabalho pela frente. É tudo completamente novo, as referências do ano passado não servem. Hoje me concentrei, como ontem, no acúmulo de dados para a equipe entender o carro".

No total, Massa completou 95 voltas ontem e 69 na terça-feira, primeiro dia de treinamento, na pista de 4.428 metros, com temperatura ambiente que variou de 5 a 17ºC nos dois dias. Sua melhor passagem, ontem, foi 1min20s454, sem utilizar pneus supermacios, como fez Michael Schumacher, com a Mercedes ainda de 2011, para estabelecer o melhor tempo do dia, 1min18s561 (132 voltas), focalizado na compreensão do comportamento dos novos pneus Pirelli, mais macios que os de 2011.

Apesar de todos esses atenuantes, Massa não escondeu certo desapontamento nesse início de trabalho. Na entrevista coletiva depois do treino, questionaram se algo o surpreendeu negativamente. Respondeu: "Você sempre enfrenta essas situações quando testa um carro novo. Às vezes você não obtém o resultado que esperava". E lembrou que a filosofia que orientou o projeto do F2012 é bastante distinta de tudo o que fizeram até agora.

Hoje e amanhã Fernando Alonso pilotará a nova Ferrari. A próxima vez que Massa vai treinar será no Circuito da Catalunha, na segunda série de ensaio coletivo da Fórmula 1, de 21 a 24.

A nova Red Bull RB8-Renault, com Mark Webber no volante, foi a mais rápida ontem em Jerez dentre os modelos deste ano. O australiano ficou com o segundo tempo, 1min19s184 (97 voltas). A FIA proibiu o recurso que tanto diferenciou a Red Bull dos adversários, em 2011, o escapamento aerodinâmico, mas a base do seu carro é tão eficiente que, mesmo perdendo significativo desempenho, ainda é bastante veloz, constante e confiável. Hoje o bicampeão do mundo Sebastian Vettel assume o carro.

Como a Ferrari, a McLaren iniciou o desenvolvimento do MP4/27-Mercedes com algumas dificuldades. Jenson Button chegou a instalar os pneus macios, mas os tempos não melhoraram, ao menos como deveriam. No total, o campeão do mundo de 2009 deu, ontem, 85 voltas, com 1min20s688, oitavo.

Toro Roso. Ainda que as condições de cada piloto sejam desconhecidas, não deixa de ser positivo o trabalho da Toro Rosso até agora. Ontem o jovem australiano Daniel Ricciardo completou 100 voltas com o STR7-Ferrari, com 1min19s587 na melhor passagem, terceiro.

O diretor-técnico da Toro Rosso, o experiente Giorgio Ascanelli, ex-engenheiro de Ayrton Senna, na McLaren, e Nelson Piquet, Benetton, comentou: "Esse novo regulamento é perfeito para nossa equipe", referindo-se à proibição do escapamento aerodinâmico, utilizado pela Toro Rosso apenas nas etapas finais de 2011.

Hoje Bruno Senna substitui Pastor Maldonado no cockpit da nova Williams FW34-Renault. O venezuelano testou nos dois primeiros dias. Ontem completou importantes 97 voltas, com 1min21s197 na mais rápida. É a primeira vez, desde a sua estreia na Fórmula 1, em 2010, que Bruno testa o carro antes de o campeonato começar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.