Massa vai amanhã para Paris

Recuperação evolui, piloto brinca e se prepara para tratar-se na França

Livio Oricchio, BUDAPESTE, O Estadao de S.Paulo

29 de julho de 2009 | 00h00

Felipe Massa melhorou muito, está sendo bem assistido em Budapeste, mas amanhã deve deixar o Hospital Militar onde está desde sábado e transferir-se para uma clínica em Paris, até a recuperação total. É o desejo de seus parentes e do médico pessoal, Dino Altman. Felipe recobrou o bom humor e consegue fazer piada de si próprio. Ontem, seu grande amigo, o piloto Popó Bueno, foi visitá-los e disse: "Felipe, fique tranquilo, você está bem". Massa não hesitou: "Estou bem, sim, estou bem f..."A brincadeira não deixa de revelar o que os médicos já manifestaram: a recuperação ultrapassou a melhor das expectativas. Quem tem contato direto com ele sai da unidade de terapia intensiva aliviado. Como Dino Altman, seu médico particular. "O Felipe respondeu perguntas com coerência em três idiomas (português, italiano e inglês)", contou. Dudu, irmão mais novo de Massa, falou que ele reclamou de fome e que seu temperamento irrequieto já se expressa em tudo: "Ele quer levantar para fazer xixi. Nos dias em que estava entubado, era só reduzir a sedação para tentar tirar os aparelhos."Na realidade, desde os primeiros instantes do acidente, sábado, na classificação do GP da Hungria, Massa foi sempre Massa. "Não conseguia vê-lo ainda no ambulatório do autódromo, mas ouvia ele gritando para os médicos: ?Não mexe em mim, me deixa, estou bem?", conta Dudu. Impaciente. Um corte de cerca de 8 centímetros, com a órbita ocular esquerda fraturada já pressionando o cérebro, no entanto, preocupava. Ontem, três dias depois, o pai de Massa, Luis Antonio (Titonho), explicou que o oftalmologista interveio para verificar a visão. "Para fazer o exame, abriram o olho, pois estava bem inchado do choque", emendou Altman. Depois seu Titonho contou: "Está enxergando perfeitamente." Parte da imprensa havia divulgado que a carreira de Massa estaria comprometida por danos à visão."Conheço Felipe, ele vai querer sair daqui o mais rápido possível e sentar no carro assim que der", comentou Lucas Di Grassi, piloto da GP2 e seu amigo, que também o viu ontem no hospital. O estilo impetuoso de Massa nas pistas é o reflexo da sua personalidade. "Na hora em que o doutor Altman disser ?pode treinar?, tenha a certeza de que meu irmão na mesma hora vai para a Granja Viana para andar de kart", garantiu Dudu.A equipe médica que assiste Massa ontem fez testes também de orientação espacial. É comum certa desorientação em pacientes submetidos a desacelerações súbitas. "O Massa respondeu com perfeição, direita, esquerda, não há comprometimento neurológico", disse Altman. Popó o acompanha. Em 2002, sofreu grave acidente na Fórmula Renault, em Monza, e fraturou a coluna. Massa foi quem mais esteve do seu lado. "O Popó está fazendo o mesmo, agora", falou Dudu.Com evolução clínica excelente é praticamente certo que amanhã será levado para o hospital Pitié-Salpêtrière, em Paris, onde passará a ser acompanhado pela equipe de Gerard Saillant, o mesmo que já cuidou de Schumacher e Ronaldo.Com mais liberdade numa clínica civil, é bom os médicos se prepararem: Massa continuará fazendo das suas. "Quer voltar para casa. São Paulo ou Mônaco, não importa. É tudo o que mais deseja", revelou Dudu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.