SS Press
SS Press

Matheus Santana brilha no Finkel, mesmo sem ganhar medalha

Desempenho no revezamento pode render medalha no Rio

Estadão Conteúdo

20 de agosto de 2015 | 20h22

Leonardo de Deus, Felipe França, Felipe Lima, Kaio Márcio, Joanna Maranhão. O Troféu José Finkel distribuiu medalhas a nomes de expressão da natação brasileira na noite desta quinta-feira, em São Paulo, mas a atuação mais relevante não valeu nem pódio. Matheus Santana fechou o revezamento da Unisanta, quarta colocada no 4x100m livre, com 47s82.

Esse resultado é importante porque, no Mundial, nenhum brasileiro nadou sua parte do revezamento 4x100m livre na casa de 47 segundos e a equipe terminou em quarto. Ainda em Kazan, Fratus depois fez 47s83 com largada lançada no revezamento misto e agora Matheus também quebrou essa barreira. Tais desempenhos, somados aos de Cesar Cielo (recordista mundial) e Marcelo Chierighini (quinto no Mundial) podem render medalha no Rio-2016.

No Finkel, a vitória ficou com o Pinheiros de Chierighini, Fratus, Gabriel Santos e Henrique Rodrigues. O Minas ganhou a prata (com 48s56 de Nicolas Nilo em largada lançada) e o Corinthians ficou com o bronze. No feminino, o Pinheiros, também venceu, mas com o Sesi em segundo e o Minas em terceiro.

A final dos 100m peito reuniu os três atletas que devem brigar por duas vagas nesta prova na Olimpíada, mas nenhum deles quebrou a barreira do minuto. Felipe França venceu para o Corinthians, com 1min00s15, o equivalente ao 20º lugar do ranking mundial - ele é o quinto.

João Luiz Gomes Júnior (Pinheiros), que volta a competições nacionais depois de cumprir suspensão por doping, ficou em segundo, com 1min00s27, enquanto Felipe Lima (Minas) terminou em terceiro: 1min00s41. Todos ficaram abaixo do índice olímpico exigido pela Federação Internacional (Fina).

O José Finkel, entretanto, não vale como tomada de índices para a natação brasileira, uma vez que a confederação nacional (CBDA) só vai aceitar marcas obtidas no Open (em dezembro, em Santa Catarina) e no Maria Lenk (abril do no que vem, no Rio).

Nos 200m borboleta, o corintiano Leonardo de Deus também nadou abaixo do índice olímpico para vencer com o tempo de 1min56s53. No Pan, ele ganhou com 1min55s01. Os resultados mais lentos no Finkel, entretanto, se explicam porque os atletas estão cansados depois de competir no Pan e no Mundial.

O pódio dos 200m borboleta na piscina coberta do Esporte Clube Pinheiros ainda teve os experientes Kaio Márcio Almeida (Minas) e Lucas Salatta (Corinthians). Entre as mulheres, Joanna Maranhão nem precisou forçar para ganhar o ouro para o Pinheiros, com 2min13s75, a mais de quatro segundo do tempo que fez no Pan. Manuella Lyrio, especialista no nado livre, manteve a prata no Pinheiros, seguida de Giovanna Diamante, do Sesi.

A australiana Taylor McKeown ganhou mais um ouro para o Minas nos 100m peito, com novo recorde do campeonato: 1min08s23. Foi seguida da flamenguista Jhennifer Conceição e da argentina Julia Sebastian, da Unisanta.

Já nos 800m livre masculino, a vitória ficou com Miguel Leite Valente, do Minas, com o tempo de 8min08s68. Luiz Rogério Arapiraca, da Unisanta, e Lucas Kanieski, também do Minas, completaram o pódio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.