Mau tempo adia decisão feminina do surfe

Devido ao mau tempo, ficou para amanhã a decisão do título feminino do Super Surf 2004, entre a cearense Silvana Lima e a paulista Suelen Naraisa, na praia de Itaúna, em Saquarema (RJ). Os fortes ventos, que prejudicaram muito a formação das ondas, e a maré alta suspenderam seis baterias masculinas e toda a programação feminina previstas para hoje. Líder do ranking nacional com 3.360 pontos, Silvana torce contra Naraisa, segunda colocada, com 3.310. Mas quem for eliminada primeiro, dará o título para a rival. Silvana entrará no mar primeiro, na bateria de abertura do dia em Saquarema, contra a paulista Cláudia Gonçalves e as potiguares Alcione Silva e Viviane Maria. Mais tarde, será a vez de Naraisa tentar a sorte, na quarta bateria do dia, diante da carioca Alessandra Vieira, da paranaense Michaela Fragonese e da catarinense Marina Werneck. No retrospecto da temporada, cada competidora venceu duas etapas do Super Surf 2004. Silvana venceu a disputa de Florianópolis, em março, e a última etapa, em Ubatuba, em julho. Naraisa levou a melhor nas competições de São Sebastião, em abril, e Ipojuca (PE), em junho. Masculino - O segundo dia da última etapa do Super Surf 2004 foi interrompido na 11.ª bateria de hoje, quando o cearense Heitor Alves desafiaria o catarinense Guga Arruda. A direção da prova aguardou cerca de quatro horas para que as condições do tempo melhorassem, mas como isso não ocorreu, o restante da programação foi adiado para amanhã, com início às 7 horas. Nas 10 baterias disputadas hoje, alguns favoritos se deram bem. No duelo dos cariocas, Pedro Muller passou por Stephan Figueiredo (9,24 pontos a 6,5). Os paulistas Renan Rocha e Hizunomê Bettero se classificaram, ao eliminar, respectivamente, os cearenses Duda Carneiro e André Silva, por 11,77 a 8,74 e 11,56 a 8,3. O paraibano Fábio Gouveia superou o catarinense Jean da Silva (14,57 a 9,3). Na disputa mais equilibrada do dia, o cearense Claudemir Lima venceu a bateria contra o catarinense Pedro Norberto por pequena vantagem: 11,2 pontos contra 11. A maior surpresa foi a eliminação do baiano Jojó de Olivença, duas vezes campeão brasileiro (1988 e 1992), pelo catarinense Diego Rosa, que veio dos torneios qualificatórios, por 15,94 contra 12,17 pontos. A disputa do título masculino entra na fase decisiva amanhã, quando os 16 melhores classificados no ranking da Abrasf (Associação Brasileira de Surf Profissional) iniciam sua participação. Os paulistas Renato Galvão, Odirlei Coutinho e Wagner Pupo, o carioca Leonardo Neves e o alagoano Tânio Barreto lutam diretamente pela conquista da temporada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.