Mau tempo deve garantir boas ondas em Imbituba

Etapa brasileira do Mundial reúne, a partir de hoje, às 7h, na Praia da Vila, os 45 melhores do mundo e 3 convidados

, O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2010 | 00h00

Desde ontem o rico e bonito mundo do surfe está voltado para uma pequena cidade do litoral sul de Santa Catarina. Imbituba, município de apenas 40 mil habitantes a 80 km de Florianópolis, recebe a terceira etapa do circuito mundial de surfe. Os 45 melhores surfistas do mundo e mais três convidados deslizarão pelas ondas da Praia da Vila em busca da maior fatia da premiação total de US$ 410 mil (R$ 722 mil) distribuída na competição.

Como nem tudo é sol e água morna quando o assunto é surfe, a defesa civil do estado alerta para uma frente fria que já trouxe muitas chuvas à região e promete afastar os fãs da beira da praia - há riscos de deslizamento nos morros que emolduram as belas praias do município -, mas ao mesmo tempo levar boas ondas à Vila. Os organizadores esperam que as primeiras baterias, no entanto, só sejam realizadas a partir de hoje (estavam previstas para ontem), quando o forte vento sul passar. Será pelo menos um dia a mais de espera para surfistas do quilate de Taj Burrow, Andy Irons e o superstars Kelly Slater, nove vezes campeão mundial, que já foi visto na Praia do Rosa, 10 quilômetros ao norte da Vila. O americano vem ao Brasil embalado por uma vitória inesquecível na tradicional competição de Bells Beach, na Austrália, em que levantou a taça mesmo surfando com uma fratura no pé direito. Slater é o atual campeão da etapa brasileira, tendo vencido, no ano passado, o paulista Adriano de Souza, o Mineirinho, na final.

Brasil representado. Apenas quatro atletas do País figuram na elite do surfe este ano. Mineirinho, na 6.ª posição do ranking, é o melhor deles. O evento da Praia da Vila ganhou mais importância em 2010. A ASP (Associação dos Surfistas Profissionais) mudou o esquema de competição e não haverá mais duas divisões, como no passado. A prova catarinense é imprescindível na luta que os 45 surfistas que disputam o título mundial travam para garantir uma vaga na fase final da temporada, que começa a partir da sexta etapa, na Califórnia.

Só os 32 melhores classificados disputam as últimas cinco competições que definem o dono da maior honraria do surfe. Os outros deverão se contentar com as antigas provas da Segunda Divisão (o chamado WQS), cuja nomenclatura foi extinta, em busca de nova chance entre os 45 da elite mundial em 2011.

Unificação. A pontuação de todos os eventos, no entanto, foi unificada e a ASP criou um ranking mundial, que dirá no fim desta temporada quem começará 2011 em condições de lutar pelo título mundial. Difícil? Sim. O melhor, sem dúvida, é mesmo acompanhar as belas manobras (pela internet no site aspworldtour.com/santacatarina) que devem incendiar a Praia da Vila, apesar da chuva, a partir das 7 horas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.