Maurren deve desistir de Atenas

O Brasil não terá a principal estrela do atletismo, Maurren Higa Maggi, na Olimpíada de Atenas, nem que a atleta do salto em distância seja absolvida do caso de doping. Maurren adiou mais uma vez sua volta aos treinos e solicitou a seu clube, a BM&F Atletismo, prazo até segunda-feira para dar uma resposta sobre o que fará no futuro. Mas a atleta deverá confirmar, nos próximos dias, que trocará as pistas por uma vida a dois com o piloto de testes da Williams, Antonio Pizzonia. Maurren ? que terminou o ano de 2003 com a melhor marca do mundo no salto em distância (7,06 metros) ? assegurou aos dirigentes do clube que pretende defender-se do caso de doping até a última instância.Maurren, de 27 anos, suspensa preventivamente das competições em 1.º de agosto de 2003, não treina regularmente desde que tomou conhecimento do resultado positivo de seu exame antidoping para a substância Clostebol, que seria proveniente de uma pomada cicatrizante usada após depilação a laser. Vem dividindo o tempo entre a casa dos pais, em São Carlos, e do noivo, em Manaus (AM). A expectativa do clube e do técnico Nélio Moura era que Maurren voltasse a treinar em São Paulo após a absolvição do Superior Tribunal de Justiça Desportiva da Confederação Brasileira de Atletismo, dia 19, enquanto o caso de doping tramita internacionalmente.A atleta não se reapresentou ao treinador e, ontem, em reunião realizada na BM&F, em São Paulo, pediu prazo até segunda-feira, mas já adiantou para os dirigentes que pretende morar com Pizzonia e acompanhá-lo nas viagens à Europa, o que inviabilizaria uma rotina de treinos. Maurren chegou a ser encaminhada pelo clube a uma psicóloga para conversar sobre seu drama pessoal.?Pediu para se reapresentar na segunda-feira. Garantiu que continuará se defendendo do caso de doping para provar a inocência?, afirmou Sérgio Coutinho Nogueira, responsável pela BM&F Atletismo. ?Fora da Olimpíada? Só vou saber na segunda-feira. Tenho esperado que volte esse tempo todo, vou esperar mais três dias. Ela disse que volta na segunda, não sei se para treinar ou para conversar. Acho que para conversar. Disse que viria em 10 de outubro. Disse que viria em 20 de janeiro... Ir para a Olimpíada envolve tanta coisa... No dia em que ela disser ?quero treinar?, vai treinar?, afirmou Nélio Moura, que simplesmente não quis falar sobre o casamento da atleta. Maurren teria pedido prazo até segunda-feira para ter tempo de comunicar sua decisão aos familiares.A saltadora era esperança de medalha do atletismo brasileiro nos Jogos Pan-Americanos e no Mundial de Atletismo, em 2003. Era dona da melhor marca do ano quando teve o resultado positivo no exame antidoping. Absolvida na corte da CBAt, terá de aguardar a manifestação da Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF). Teria de ser absolvida ou ter uma suspensão inferior ou de no máximo um ano para disputar a Olimpíada. Mas, para ser competitiva em Atenas, teria de voltar a treinar imediatamente. Sem preparação, caso fosse liberada, Maurren não teria como ir aos Jogos. Até mesmo sua participação no Mundial, em 2005, pode estar comprometida se ela não voltar aos treinos nos próximos meses.Quando chegou ao Ibirapuera, aos 17 anos, para morar nos alojamentos do Projeto Futuro, Maurren saltava 5,40 m. Em 1999, após duas medalhas no Pan de Winnipeg e a excepcional marca de 7,26 m, feita na altitude da Colômbia, viu a carreira deslanchar. A escalada levou Maurren ao ouro na Copa do Mundo, a pódios em meetings internacionais de primeiríssimo nível, como os de Londres, Berlim e Paris, e no Mundial Indoor, em 2003, ano em que teve muitas das melhores marcas do mundo.Falta a Maurren um pódio em Mundial ou Olimpíada. Foi oitava no Mundial de Sevilha, em 1999. Em 2000, na Olimpíada de Sydney, se machucou e ficou fora da final. Foi sétima no Mundial de Edmonton, em 2001, e afastada do Mundial de Paris, pelo antidoping positivo no ano passado. Antes de competir no Troféu Brasil, em 2003, prova em que foi pega no controle, em 14 de junho, Maurren disse que ainda lhe faltavam esses pódios.

Agencia Estado,

30 de janeiro de 2004 | 03h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.