Kay Nietfeld/EFE
Kay Nietfeld/EFE

Maurren e Keila estão na final do salto em distância

As duas se classificaram mesmo sem atingir a distância de corte e disputam medalha no domingo, às 11h15

AE, Agência Estado

21 de agosto de 2009 | 14h57

As brasileiras Maurren Maggi e Keila Costa se classificaram nesta sexta-feira para a final do salto em distância no Mundial de Atletismo, que está sendo realizado em Berlim. A disputa de medalhas vai acontecer no próximo domingo, a partir das 11h15 (horário de Brasília).

Veja também:

especial MUNDIAL - Leia todas as notícias do torneio

forum QUIZ - Participe do teste sobre o Mundial

tabela CALENDÁRIO - Todos os eventos e horários

As duas atletas, porém, não conseguiram alcançar a marca de 6,75 metros para se garantirem automaticamente na final. As brasileiras avançaram graças ao índice técnico. O melhor salto de Maurren Maggi foi o primeiro, em que alcançou 6,68 metros. Depois, ela saltou 6,58 metros e 6,30 metros.

O último salto da campeã olímpica foi atrapalhado pela chuva, que forçou a interrupção do Mundial de Atletismo. Assim, Maurren terminou o classificatório com o quarto melhor salto, ao lado da russa Olga Kucherenko.

A brasileira garantiu que superou os problemas no joelho direito e acredita que pode conquistar uma medalha na disputa do salto em distância. "Eu estou bem, pronta para saltar mais de 6,80 metros. O importante é encaixar um salto. Estou preparada para fazer um bom resultado", disse Maurren, em entrevista ao SporTV.

Keila Costa teve desempenho parecido. Ele acertou dois dos três saltos, registrando 6,66 metros no primeiro e 6,55 metros no último. Com isso, se classificou para a final do salto em distância com o sétimo melhor desempenho.

Apenas três atletas superaram a marca de 6,75 metros, que classificava as competidoras automaticamente para a final. A portuguesa Naide Gomes, que registrou 6,86 metros, a norte-americana Brittney Reese, que saltou 6,78 metros, e a russa Tatyana Lebedeva, com 6,76 metros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.