Maurren é suspensa 2 anos por doping

Maurren Higa Maggi está suspensa das competições por 2 anos, por causa de doping. A análise da contraprova confirmou a presença da substância proibida Clostebol Metabolite na urina da atleta, flagrada durante a disputa do Troféu Brasil de Atletismo, dia 14 de junho, em São Paulo.O laboratório Ladetec, do Rio de Janeiro, comunicou a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) nesta terça-feira que a análise da amostra B da urina de Maurren confirmou o resultado da A e também deu positivo. Assim, a entidade, seguindo as regras internacionais da Iaaf, suspendeu a atleta por 2 anos - ela, inclusive, já não tinha participado do Pan de São Domingos por conta desse problema.Agora, Maurren tem 28 dias para pedir que o seu caso seja julgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Caso ela faça isso e seja absolvida, a Confederação Brasileira da modalidade se encarregará de levar o caso para a Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) julgar.Se a entidade máxima do atletismo absolver a brasileira, ela volta a competir antes de cumprir os dois anos de suspensão. Se não, a própria Maurren, e não mais a CBAt, pode apelar para a Corte de Arbitragem do Esporte (CAS), na Suíça. Caso não seja absolvida pelo STJD, a brasileira pode apelar diretamente ao órgão suíço."Na prática, para nós não muda muita coisa. Ela deve voltar a treinar com os outros atletas no dia 20 deste mês", revelou o treinador de Maurren, Nélio Moura. Ele disse que já sabia do resultado da contraprova: "Desde o dia em que foi feito o exame já sabíamos que o resultado dessa amostra B seria o mesmo. Já vi alguns casos no Brasil de atletas que foram absolvidos, e outros não. Mas todos esperamos que a Maurren seja absolvida. Ela vai continuar normalmente treinando para a Olimpíada de Atenas, no ano que vem."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.