Maurren garante, em casa, segundo lugar no ranking

Campeã olímpica no salto em distância faz 6,89 m no GP São Paulo, disputado ontem na nova pista do Ibirapuera

Amanda Romanelli, O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2011 | 00h00

Maurren Maggi já levantou aos pulos da caixa de areia após sua 3.ª tentativa no Grande Prêmio São Paulo de Atletismo. Sabia que tinha acabado de conquistar um salto dos grandes.

A fita métrica e os números no placar manual da pista do Ibirapuera só confirmaram o que a atleta já celebrava: a marca de 6,89 m, que lhe garantiu o ouro, é a 2.ª melhor do mundo no ano.

Durante a prova, realizada na manhã de ontem, a informação era de que Maurren assumira a liderança do ranking mundial. Mas o 1.º lugar cabe à bielorrussa Veronika Shutkova, que saltou 6,95 m no sábado.

A retificação do resultado não diminui, porém, a realização de Maurren, que ficou muito emocionada após a competição. O GP São Paulo marcou, também, o retorno da atleta ao lugar que sempre chamou de "quintal".

Afinal, foi no Estádio Ícaro de Castro Mello, oficialmente reinaugurado ontem após reforma, que Maurren começou a carreira, em 1994, quando deixou a cidade de São Carlos, no interior paulista. "Eu adoro essa pista."

Mas emoção maior que a do resultado foi a do encontro com o médico Moisés Cohen. Quando percebeu a chegada do torcedor ilustre, Maurren deixou a entrevista coletiva e partiu para os braços do ortopedista. Juntos, choraram.

"Se hoje eu estou de volta, é graças a ele", disse a atleta, prestes a completar 35 anos. "Eu sabia que sem melhorar meu joelho, não iria a lugar nenhum. A gente pensou, pensou, fez a cirurgia e aí está. A cada prova que eu entro, me surpreendo."

Cohen, também emocionado, disse que Maurren requisitou sua presença no Ibirapuera. Foi ele quem operou o joelho direito da saltadora em 2009, após o Mundial de Berlim.

O técnico Nélio Moura ressaltou que, além da vitória, aprovou a consistência de Maurren, que saltou 6,84 m em três das quatro tentativas da prova de ontem. "Isso só mostra que ela está bem e pode chegar nos 7 metros ainda neste ano." Ela conquistou o ouro olímpico com 7,04 m.

Keila Costa também disputou o salto em distância e, com 6,67 m, fez índice para o Mundial de Daegu, em agosto. Ela e Maurren estarão no GP Brasil, no Rio, quinta-feira, no Engenhão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.