Emilio Naranjo/EFE
Emilio Naranjo/EFE

Maurren Maggi queima saltos e fica fora do pódio

A campeã olímpica registrou apenas 6,17 metros em sua única tentativa válida

AE, Agência Estado

28 de agosto de 2011 | 10h06

DAEGU - Maurren Maggi sucumbiu à ansiedade neste domingo e ficou de fora do pódio no Mundial de Daegu, na Coreia do Sul. Dona da melhor marca nas eliminatórias, a campeã olímpica queimou saltos e registrou apenas 6,17 metros em sua única tentativa válida.

Campeã nos Jogos de Pequim, a brasileira queimou suas duas primeiras tentativas no saldo em distância e, pressionada, foi cautelosa na última chance, ficando aquém do esperado. Nas eliminatórias, ela marcara 6,86 metros. "A prova estava aberta e acho que a única que acertou foi a Brittney (Reese, dos EUA). Infelizmente vou voltar para casa com uma medalha a menos no meu currículo", comentou Maurren, em lágrimas, em entrevista ao Sportv.

Com a brasileira fora da disputa, a americana Brittney Reese faturou o ouro, com 6,82m. A prata foi para a russa Olga Kucherenko, com 6,77m, seguida da letã Ineta Radevica, com 6,76m.

Pela fase eliminatória, a brasileira Fabiana Murer avançou à final no salto com vara, com os mesmos 4,55 metros da russa Elena Isinbayeva, favorita e recordista mundial. A disputa pelo título mundial acontecerá somente na terça-feira, a partir da 7h05 (horário de Brasília).

Outros resultados.Ana Cláudia Lemos e Rosângela Santos avançaram à semifinal dos 100 metros, que será disputada na segunda-feira. Na prova dos 20km, Caio Bonfim ficou em 22º lugar entre os 46 que largaram. Moacir Zimmermann acabou sendo desclassificado após completar a prova.

No decatlo, Luiz Alberto de Araújo subiu de 19º para 11º após completar sete das 10 provas previstas na disputa. Ele soma 5.794 pontos. "Se for bem nas provas finais pode subir na classificação", disse o técnico Edemar Alves.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoMundialMaggiMurer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.