Phil Noble/Reuters
Phil Noble/Reuters

Maurren Maggi vai à final do Mundial com melhor marca

A atual campeão olímpica fez a melhor marca com salto de 6,86m. A final acontece neste domingo

AE, Agência Estado

27 de agosto de 2011 | 11h07

DAEGU - A brasileira Maurren Higa Maggi avançou neste sábado à final do salto em distância no Mundial de Atletismo. A atual campeã olímpica fez a melhor marca das eliminatórias, realizadas nesta noite em Daegu (manhã no Brasil). Em sua segunda tentativa, ela saltou 6,86m e abdicou do último salto a que ela teria direito. A final acontece no domingo, a partir das 6h15, pelo horário de Brasília.

Outra brasileira que disputou o salto em distância, Keila Costa não foi bem. Fez 6,09m na primeira tentativa, 6,07m na segunda e tinha que passar dos 6,50m no último salto para tentar ir à final. Marcou apenas 6,26m e ficou fora da disputa por medalhas. Acabou na 24.ª colocação. Tivesse repetido seu melhor salto do ano (6,67m), avançaria em sétimo para a final.

Das cinco saltadoras que estão à frente de Maurren no ranking mundial deste ano, somente a bielo-russa Veronika Shutkova não foi à final. A russa Olga Balayeva, outra atleta que poderia disputar medalhas, já que é a sétima melhor de 2011, também ficou fora da decisão.

Mauren quer melhorar marca. A melhor marca das eliminatórias do salto em distância, conquistada neste sábado em Daegu, é só o começo da trajetória de Maurren Higa Maggi no Campeonato Mundial de Atletismo que acontece na Coreia do Sul. Ela prevê melhorar os 6,86m que lhe deram a primeira posição no classificatório. "Fiz a melhor marca entre todas as participantes, mas o bom mesmo foi que senti que ainda posso melhorar muito para a final", disse a atleta. A decisão do salto em distância é neste domingo, a partir das 6h15 pelo horário de Brasília.

Dono da quinta melhor marca do ano no salto com vara e com boas chances de ser medalhista no Mundial, Fábio Gomes da Silva também comemora a classificação à final em Daegu. "Estava bem e confiante. Passei 5,50m na primeira tentativa, fiz 5,60m na segunda e 5,65m na primeira, foi o suficiente. Estou bem fisicamente e acho que mentalmente também. Mesmo a parte muscular está fortalecida", comentou.

Em seu terceiro Campeonato Mundial, Kleberson Davide busca a primeira final nos 800m. Ele que foi semifinalista em Osaka, em 2007, mas não passou das eliminatórias da prova em Berlim, há dois anos. Neste sábado, ficou longe do seu recorde pessoal, mas avançou com folgas à semifinal. "Nunca me havia sentido tão bem antes de estrear numa competição desse nível. Queria fazer algo diferente do que fiz nos dois Mundiais anteriores de que participei", disse o brasileiro, que revelou que podia ter sido mais rápido. "Vi que podia ditar o ritmo, tanto que nos últimos 300 metros, quando o grupo veio para a frente, tive apenas que controlar a distância".

Semifinalista nos 400 m, Geisa Aparecida Coutinho correu a primeira bateria eliminatória, estava em quarto, relaxou no final e acabou chegando em quinto. Só se classificou pelo índice técnico.

"Cheguei um pouco cansada. Parece que eu estava em quarto, mas parece que eu fiquei em quinto. Se não deu pra passar do primeiro tiro, paciência, tem o Pan-Americano", disse a atleta, já lamentando uma eliminação que não veio.

Maior decepção do Brasil neste primeiro dia em Daegu, a veterana Elisangela Adriano marcou apenas 56,45m no lançamento de disco e não foi à final. "Recentemente marquei 62,00 m, que era o exigido para a qualificação aqui. Estava treinando bem, mas o resultado não aconteceu", afirmou a atleta.

Nos 100m, Nilson André correu ao lado de Usain Bolt, mas o tempo de 10s54 o deixou longe da final. "Estava mais confiante, achava que dava para conseguir um resultado melhor. Agora é pensar nos 200m e no revezamento, que a gente está com chance", disse ele ao Sportv.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.