Maurren sabe se vai a Atenas dia 19

Enquanto Marizete Rezende aguarda a divulgação do resultado da contraprova de seu exame antidoping, a saltadora Maurren Maggi espera pelo julgamento de seu caso de doping por Clostebol em julho deste ano. A atleta vai tentar reduzir a suspensão por dois anos por ter usado a substância Clostebol que, segundo ela, foi resultado do uso de um creme após sessão de depilação definitiva antes do Troféu Brasil, em junho. O julgamento será no dia 19 no Tribunal de Justiça Desportiva da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), em Manaus. Caso a alegação de doping involuntário não seja aceita, Maurren pode ficar fora da Olimpíada de Atenas. Por causa do problema, a saltadora não pôde participar dos Jogos Pan-Americanos de São Domingos e do Mundial de Paris, este ano. Mesmo com a redução da suspensão, Maurren ainda não terá participação nos Jogos na Grécia garantida pois a decisão do tribunal deverá ser confirmada pela Comissão Jurídica da Federação Internacional de Atletismo (Iaaf). Em caso de resultado desfavorável, a atleta ainda pode apelar à Corte de Arbitragem do Esporte, em Lausanne.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.