Mayra: ouro e recorde no Marrocos

Brasileira se torna a atleta a vencer mais vezes em campeonatos da categoria ao subir ao pódio pela terceira vez

Valéria Zukeran, O Estado de S.Paulo

25 de outubro de 2010 | 00h00

Mayra Aguiar já faz parte da história das grandes revelações do judô internacional. Ontem, a brasileira, de 19 anos, conquistou a medalha de ouro na categoria -78 kg do Campeonato Mundial Sub-20, disputado em Agadir, Marrocos, e se tornou a atleta a conseguir o maior número de pódios do torneio.

Em 2006, na República Dominicana, Mayra ganhou medalha de bronze na competição. Em 2008, na Tailândia, foi prata e no ano passado, em Paris, levou outro bronze. Desta vez, a brasileira parou de "bater na trave". Ganhou ouro na última competição sub-20 da carreira. "Foi show. Era minha última chance", comemorou a judoca.

Mayra conta que se beneficiou de um início de disputa relativamente tranquilo. "No sorteio das chaves fiquei de bye (quando o atleta espera o resultado de outro confronto para conhecer seu adversário) e em minha primeira luta enfrentei uma ucraniana contra quem já havia lutado. Como a conhecia bem, diminuiu aquela ansiedade natural da primeira luta", conta.

Mas daí para a frente as coisas se complicaram. "Na semifinal tive uma adversária dura, a japonesa", conta a brasileira. Para se ter uma noção da força do País inventor do judô no Mundial Sub-20, o time conquistou nove outros, quatro pratas e sete bronzes no evento. Mas Mayra ganhou de Misaki Shimoda e garantiu vaga na decisão do título, contra a eslovena Ana Valensek.

"Já tinha treinado contra ela (Valensek), mas nunca disputado uma luta. Sabia que, como eu, ela é atleta forte. A estratégia era "matar a manga" (evitar que a adversária fizesse uma boa pegada no quimono) para neutralizá-la", explica a brasileira. "O começou foi difícil porque tomei um shido por falta de combatividade que até agora não entendi. Mas há males que vêm para bem, porque a punição me fez ser mais agressiva e acho que me ajudou a vencer (por yuko)."

Mayra conta que tem se sentido fortalecida desde a cirurgia no joelho direito, realizada no fim de 2008, que a tirou das competições por oito meses. "Foi duro, afinal fiquei seis meses sem por um quimono, mas a experiência serviu para mostrar o quanto o judô fazia parte da minha vida", conta. Na volta a atleta resolveu se dedicar com afinco aos treinos e os resultados foram aparecendo.

Futuro. Daqui para frente, Mayra só participará de só eventos na categoria sênior, onde já se destaca: este ano foi a primeira brasileira a participar de uma final de Campeonato Mundial e ganhou prata. "Estou com fome de judô", avisa. Pior para suas adversárias.

Correria. Mayra Aguiar terá pouco tempo para descansar depois da conquista de ontem. A judoca fará parte da delegação brasileira que disputará o Campeonato Mundial por Equipes, na Turquia, entre os dias 29 e 31.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.