Rebecca Blackwell/ AP
Rebecca Blackwell/ AP

Mayweather e Pacquiao conhecem o 'Cinturão das Esmeraldas'

Um deles vai levar a peça avaliada em R$ 3 milhões, em luta dia 2

O Estado de S. Paulo

21 de abril de 2015 | 18h37

O Conselho Mundial de Boxe (CMB) mostrou nesta terça-feira, na Cidade do México, o cinturão de 3.000 esmeraldas que vai entregar no dia 2 de maio ao vencedor da luta entre o norte-americano Floyd Mayweather e o filipino Manny Pacquiao. Há mais de dois meses os lutares e seus estafes promovem o combate, marcado para Las Vegas, palco das lutas memoráveis do boxe. A bolsa de aposta é estimada em US$ 200 milhões (R$ 600 milhões), sendo US$ 120 milhões (R$ 360 milhões) para Mayweather e US$ 80 milhões (R$ 240 milhões) para Pacquiao.

No evento de apresentação do cinturão estiveram presentes o ex-campeão dos pesos pesados, também dos Estados Unidos, Larry Holmes, o campeão Adonis Stevenson e o ex-campeão mundial do peso mosca, o mexicano Humberto González, entre outras figuras conhecidas dos ringues. Mayweather e Pacquiao "estarão superando todos os recordes", disse o presidente do CMB, Mauricio Sulaimán. "É a luta que todos nós estávamos esperando." Ele ressaltou que a luta só foi possível de ser marcada porque os promotores, e todos os envolvidos, até a televisão, se juntaram e trabalharam lado a lado. Não havia outro caminho para isso.

O 'Cinturão de Esmeralda' é banhado em ouro e tem os rostos dos dois lutadores estampados em seus medalhões. Há ainda a fisionomia de Mohamed Ali e do presidente da CMB, José Sulaimán, já morto. A peça é resultado do trabalho de artesãos mexicanos e seu valor está avaliado em US$ 1 milhão (R$ 3 milhões).

CARTEL

Mayweather, de 37 anos, está invicto em 47 lutas. Pacquiao, de 36 anos, tem um recorde de 57 vitórias, cinco empates e duas derrotas. Ganhou 38 vezes por nocaute, a última delas contra Chris Algieri em novembro do ano passado. A luta será disputada no hotel MGM de Las Vegas, nos Estados Unidos, dia 2, quando estarão em jogo os títulos mundiais de peso meio-médio da CMB, da Associação Mundial de Boxe (AMB) e da Organização Mundial de Boxe (OMB).


Tudo o que sabemos sobre:
lutasboxePacquiaoMayweather,

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.