McLaren pode perder um terço das receitas pela crise global

Equipe inglesa acredita que terá uma redução de US$ 410,8 milhões para US$ 256 milhões por temporada

Reuters

07 de dezembro de 2008 | 14h06

A equipe McLaren acredita que suas receitas vão cair em mais de um terço como resultado da crise econômica global, afirmou o chefe da escuderia e co-proprietário Ron Dennis. "Nosso orçamento vem do orçamento de publicidade das empresas que nos apóiam e, inevitavelmente, os orçamentos de publicidade são cortados, ou pelo menos são severamente reduzidos em tempos de dificuldade econômica", disse ao jornal britânico The Observer. "Sabemos que temos que reduzir nossos gastos para acomodar a queda inevitável da receita que virá em 2010 e 2011", acrescentou na entrevista ao jornal, antes da Honda anunciar seu desligamento da categoria. "Prevemos que nosso movimento vai cair de US$ 410,8 milhões por ano para US$ 256 milhões." Quarenta por cento da McLaren estão nas mãos da Mercedes, outros 30 por cento são da empresa estatal Mumtalakat, do Barein, e o restante é dividido igualmente entre Dennis e o parceiro saudita Mansour Ojjeh. Seus principais patrocinadores são a gigante de telecomunicações Vodafone e o banco espanhol Santander. A equipe venceu o campeonato deste ano, conquistando o primeiro título na Fórmula 1 desde 1999, e o britânico Lewis Hamilton se transformou no mais jovem campeão da categoria aos 23 anos. A McLaren é a segunda escuderia mais bem-sucedida da F-1, depois da Ferrari, em termos de corridas e títulos conquistados, e também detém uma série de empresas. Dennis quer diversificar ainda mais as atividades. "Se você olhar para trás na história, vê exemplos claros de equipes que se ativeram à Fórmula 1 e fracassaram", disse a jornalistas no mês passado no Brasil. "Não se pode manter uma equipe de F-1 indefinidamente, é preciso diversificar." Norbert Haug, chefe da Mercedes, afirmou na sexta-feira que as equipes de Fórmula 1 devem cortar gastos em pelo menos 50 por cento nos próximos dois anos, mas afirmou que a situação financeira de sua empresa permanece sólida.

Tudo o que sabemos sobre:
McLarenFórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.