Medalhistas já pensam na seletiva do judô

Edinanci Silva, Mário Sabino e Carlos Honorato, medalhistas de bronze do judô brasileiro no Campeonato Mundial, disputado em Osaka, Japão, desembarcaram nesta terça-feira pela manhã no Aeroporto de Cumbica, em São Paulo. Eles garantiram a vaga olímpica para suas respectivas categorias - Edinanci e Sabino são meio-pesados, enquanto Honorato é médio -, mas terão de disputar a seletiva brasileira que irá indicar o atleta para Atenas 2004.Além deles, o País conseguiu outras duas vagas olímpicas, com a 5ª colocação de Vânia Ishii (médio) e Daniel Hernandes (pesado). E as categorias que não conseguiram classificação para Atenas terão chance em novembro, em uma competição em Buenos Aires, que contará pontos para o ranking mundial. ?Não posso me acomodar com essas conquistas pois tem muita gente boa na minha cola querendo estar em Atenas?, disse Sabino, campeão pan-americano. ?Esta é a melhor fase da minha carreira, sim, mas quero mais. Depois do sétimo lugar em Sydney 2000, acho que estou pronto para disputar uma medalha olímpica.? Edinanci Silva já sabe qual será sua maior adversária na seletiva. ?Não sou absoluta. A Rosângela Conceição é canhota e ainda por cima tem um estilo de luta que eu não gosto muito, como o da cubana Yurisel Laborde, que ganhei na final do Pan e depois perdi no Mundial?, afirmou a judoca. Carlos Honorato, que pretende curtir um pouco a filha Gabriela, de dois anos, também já tem planos. ?A seletiva para definir a equipe do Brasil vai ser mais um estágio na minha preparação. Sei que terei grandes adversários como o Diego Barreto, vice-campeão da Universíade, o Edelmar Zanol e o Alex Guedes. Mas se estiver focado na Olimpíada e bem treinado para chegar à Grécia, terei mais chance de sucesso na seletiva.? Honorato foi medalha de prata em Sydney/2000.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.