Amanda Perobelli/Estadão
Amanda Perobelli/Estadão

Medalhistas olímpicos se colocam à disposição para reerguer CBDA

Thiago Pereira diz que momento é crítico e merece atenção especial

O Estado de S. Paulo

07 de abril de 2017 | 10h43

Um dia depois da prisão de Coaracy Nunes e de outros membros da Confederação Brasileira de Desportes Aquáticos, um grupo de 13 medalhistas olímpicos da natação brasileira se pronunciou nesta sexta-feira por meio de um comunicado oficial. Nas redes sociais, Thiago Pereira manifestou preocupação: "O momento é crítico e merece uma atenção especial".

"Os medalhistas olímpicos de natação vêm se manifestar preocupados com a grave momento que atravessam os esportes aquáticos em função da intervenção na CBDA e prisão de seus diretores. Na certeza de que a nossa comunidade é forte e resiliente, como são nossos esportes aquáticos, queremos nos colocar à disposição do interventor, senhor Gustavo Licks, para colaborar com o reerguimento da nossa Confederação que precisa de eleições mais democráticas e legítimas com a maior brevidade possível", diz a nota.

O texto é assinado por Poliana Okimoto, Thiago Pereira, Cesar Cielo, Gustavo Borges, Fernando Scherer, Edvaldo Valério, Carlos Jayme, Ricardo Prado, Marcus Mattioli, Jorge Fernandes, Cyro Delgado, Djan Madruga e Manoel Dos Santos.

A Operação Águas Claras, deflagrada pela Polícia Federal, investiga desvios de recursos públicos repassados à CBDA. Além de Coaracy Nunes, foram presos também o diretor financeiro da entidade, Sérgio Ribeiro Lins de Alvarenga, e o coordenador de polo aquático, Ricardo Cabral. Foi também expedido um mandado de prisão preventiva para Ricardo de Moura, superintendente da entidade.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.