Márcio Fernandes/Estadão
Márcio Fernandes/Estadão

Medina celebra volta por cima: 'Sou moleque, tenho tentações'

Em busca do bi, campeão mundial começou muito mal a temporada

PAULO FAVERO, enviado especial ao Havaí, O Estado de S. Paulo

09 de dezembro de 2015 | 21h17

Dos três brasileiros na disputa do título mundial de surfe, Gabriel Medina é quem está mais atrás no ranking, mas a arrancada que deu na segunda metade da temporada é digna de aplausos. Tanto que após um início de ano complicado, ele conseguiu dar a volta por cima e chega à última etapa ainda sonhando com o bicampeonato. Para ele, foi complicado lidar com o sucesso sendo tão jovem.

"É difícil com tão pouca idade ter fama e várias tentações. Foi difícil manter o foco, mas foi bom aproveitar. Eu sou um moleque de 20 anos e eu tenho as mesmas vontades de qualquer moleque. Eu sei que a minha vida é diferente, porque eu sou um surfista profissional e tenho que me dedicar. Eu não digo que foi um problema, quando eu estava solteiro, com festas e com mulheres, porque eu tenho uma boa educação da minha família", afirmou.

Há alguns meses, Medina começou a namorar Tayná Hanada e viu não apenas sua vida mudar como os resultados aparecerem. "Com namorada, eu me concentro só no surfe. Eu tenho agora uma vida mais relaxada e tranquila, só me concentro no trabalho. Ela está comigo aqui no Havaí e pode ver tudo de perto. Isso me incentiva a dar um título mundial para ela. No ano passado, ela não estava comigo, e se Deus quiser, eu vou poder dar esse título para ela."

O surfista conta que fez de tudo para que os resultados aparecessem mais cedo na temporada, mas as coisas não davam certo. Agora ele já acredita que pode surpreender os favoritos Mick Fanning, Filipe Toledo e Adriano de Souza. "Depois do jeito que eu comecei o ano, com todo mundo falando que o título já era, poder chegar com chances aqui no Havaí é fantástico. Tomara que eu consiga o bicampeonato. Essa reviravolta que eu tive pode ficar marcada para a história", conclui.

Tudo o que sabemos sobre:
surfeCircuito MundialGabriel Medina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.