Divulgação
Divulgação

Medina é vice no Taiti, mas volta à briga pelo título mundial

Brasileiro é derrotado na final pelo francês Jeremy Flores

O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2015 | 21h08

O brasileiro Gabriel Medina perdeu a final do Billabong Pro Tahiti após fazer ótima campanha na etapa, mas mesmo assim voltou a brigar pelo título mundial de surfe na temporada. Ele disputou a final com Jeremy Flores e acabou não conseguindo pegar ondas melhores que o rival e, com isso, não repetiu o título da etapa do ano passado, quando venceu Kelly Slater na decisão. "O Gabriel é um cara muito tático, então tentei ser o mais agressivo possível na água", afirmou Flores, que venceu por 16,87 a 13,20 pontos.

Com o vice-campeonato, Medina teve seu melhor resultado no ano e acumulou 8.000 pontos no ranking, que ainda tem a liderança do brasileiro Adriano de Souza, o Mineirinho. "Eu acho que cometi um erro no começo da bateria, mas estou feliz com esse vice-campeonato. Queria pegar mais ondas na final, mas não deu", explicou o brasileiro. O resultado fez com que Medina diminuísse de 17.050 para 10.800 pontos a distância para a ponta da tabela e chegasse à décima posição. O equilíbrio é tão grande que apenas 1.750 pontos separam o primeiro do quarto colocado. Um dado interessante desta temporada é que muitos bons surfistas não aparecem entre os 15 primeiros, como Joel Parkinson, John John Florence, Michel Bourez e Jordy Smith.

Os outros brasileiros presentes na etapa do Taiti se despediram da competição mais cedo, incluindo Adriano de Souza, o Mineirinho, que entrou no torneio com a camisa amarela de líder do campeonato. Ele acabou caindo na terceira fase e ficou em 13º lugar, mesma colocação de Jadson André. Já Miguel Pupo ficou em 25º. Os outros atletas nacionais ficaram nas seguintes posições: Filipe Toledo, Bruno Santos e Wiggolly Dantas (9º) e Ítalo Ferreira (5º).

 

O garoto de Maresias vem tendo uma temporada irregular e não começou bem o ano, mas na etapa da África do Sul ficou na quinta colocação, se recuperando de três resultados ruins (um 25º lugar e dois 13º) e agora já faz um novo bom resultado, o que melhora sua situação no ranking mundial e deixa a disputa aberta para as próximas etapas. O brasileiro, no caso, luta pelo bicampeonato mundial e vai para a próxima etapa, em Trestles, na Califórnia, de 9 a 20 de setembro, com chances de se aproximar mais dos líderes.


Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • Raí valoriza montagem do elenco do São Paulo para o Brasileirão
  • Em crise, Figueirense se movimenta para evitar novo W.O.
  • Corinthians, Palmeiras e São Paulo tem as melhores defesas do Campeonato Brasileiro
  • Podcast: personalidades do esporte analisam a situação do futebol no Brasil
  • Bruno Henrique vibra com gols no Maracanã: 'Semana mais feliz da minha vida'

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.