Damien Poullenot/WSL
Damien Poullenot/WSL

Medina exalta vitória e projeta briga por título: 'Nada é impossível'

Brasileiro sobe para a segunda colocação após levar etapa em Portugal e se aproxima do líder John John Florence

Estadão Conteúdo

25 Outubro 2017 | 18h02

O brasileiro Gabriel Medina venceu nesta quarta-feira a etapa de Portugal do Circuito Mundial de Surfe, em Peniche, e manteve-se vivo na luta pelo título da temporada. Na decisão, ele encarou o australiano Julian Wilson e arrancou na reta final da última bateria para levar a melhor e ficar com o troféu, repetindo o que havia feito na etapa anterior, na França, em Hossegor.

+ Infográfico: Circuito Mundial de Surfe - 2017

Medina tinha diante de si um antigo algoz, já que Wilson o derrotou na sua primeira final na elite do surfe, em 2012, também em Peniche, além de outras duas decisões mais recentes, em Pipeline, em 2014, e em Teahupoo, nesta temporada. Desta vez, porém, foi o brasileiro que conseguiu uma boa nota, de 6,33, na última onda, somou 13,26 e superou o australiano, que ficou com 10,94.

"Estou realmente muito feliz agora. Eu tinha um objetivo de ganhar um evento na Europa, então ganhar os dois foi uma coisa incrível. Estou muito cansado agora, porque tive que trabalhar bastante. O Julian (Wilson) já me ganhou tantas vezes desse jeito, então foi bom dar o troco nele. Quando ele conseguiu passar a frente quando faltavam cinco minutos, pensei: 'Oh meu Deus, de novo'. Mas, estava confiante e estou muito contente por ter conseguido ganhar no finalzinho dele dessa vez", declarou.

Com o resultado, Medina subiu para a segunda colocação na temporada, com 50.250 pontos, e entrou na briga direta pelo título do Circuito com John John Florence, que parou nas quartas de final em Peniche e soma 53.350. Na última etapa, em Pipe Masters, no Havaí, o brasileiro buscará a vitória para ser campeão. Se isso acontecer, precisa torcer para John John chegar no máximo às semifinais.

"Antes, eu não estava realmente pensando em título mundial, mas agora estou definitivamente acreditando nisso", disse Gabriel Medina. "Ele (John John Florence) tem uma vantagem, mas agora tudo pode acontecer lá no Havaí. Eu só quero surfar o melhor que eu puder em Pipeline. Adoro aquela onda e já consegui bons resultados neste evento, então nada é impossível e vou preparado para disputar o título lá mais uma vez."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.