Instagram/Reprodução
Instagram/Reprodução

Medina se desculpa e pede fim da 'tempestade em copo d'água'

Surfista posa ao lado de seu algoz na Austrália e minimiza polêmica

O Estado de S. Paulo

12 Março 2015 | 21h17

Nada como um dia após ao outro. Depois de reclamar dos juízes e das condições do mar, após a eliminação precoce na primeira etapa do Circuito Mundial de Surfe, Gabriel Medina reconheceu seus erros e minimizou a decisão da arbitragem, que deu interferência em uma onda disputada com Glenn Hall e tirou as chances do brasileiro de avançar no torneio.

"O lance da interferência foi uma coisa de interpretação. Eles entenderam aquilo. Não toquei em nenhum momento no Glenn. Mas, vendo o replay, acho que se fosse juiz também daria. Porque saí bem perto dele na onda. É uma decisão bem difícil, mas pode acontecer. A gente corre esse risco e dei azar", disse o garoto, em entrevista para o SporTV.

Medina disputava a terceira fase da competição contra o irlandês Glenn Hall. Perto do final da bateria, quando a prioridade era do adversário, o brasileiro entrou na onda e, ao perceber que o rival também remava, se retirou da disputa. Mas Hall parou também, forçando uma interferência do surfista de Maresias. Os dois falaram alguma coisa ainda na água e de nada adiantou uma boa que Medina pegou, que garantiria sua classificação para a próxima fase - quando há interferência, só uma onda é computada na pontuação final e com isso Medina não teve possibilidade de somar os pontos necessários.

"Não surfei tão bem quanto os outros surfistas. Vou praticar e treinar mais para a próxima. Muitos caras tiveram derrotas duras, as ondas estavam complicadas, as condições estavam difíceis. Pudemos perceber as emoções de todos. É duro. Alguns caras socam a prancha, outros preferem falar, outros têm outras preferência. Eu preferi falar e estava triste e irritado comigo. Usei palavras ruins que geralmente não uso. Foi um grande erro meu. Todo mundo tem essa parte emocional... Mas acho que na próxima vou socar minha prancha e vai ser melhor do que fiz", afirmou, sobre os palavrões que usou na transmissão ao vivo da competição pela internet.

O jeito de desabafar pouco depois de ter sido eliminado incomodou a cúpula da WSL (Liga Mundial de Surfe, da sigla em inglês). Medina tomou uma bronca da organização e prometeu não fazer mais isso. Também aproveitou para garantir que não tem problemas com seu algoz. "Sabia que seria difícil. Respeito qualquer um. Pode ser Kelly, Glenn ou qualquer um. Foi uma derrota dura. Não pude surfar bem, e ele teve a vitória. É duro ter a interferência. Você joga uma onda fora, não tem muitas oportunidades e chances. Todos estavam falando sobre mim e Glenn e tentando colocar um para brigar com o outro, mas o que acontece na bateria fica na bateria. Somos todos amigos fora. Ele mereceu a vitória."

Pela sua conta pessoal no Instagram, Medina postou uma foto ao lado do irlandês e reforçou a ideia de que não existe qualquer rusga com o surfista. "Eu e o Glenn estamos tomando café e vocês ainda falando disso! Na água estamos lutando pelo mesmo objetivo, e fora somos amigos, por isso o esporte é apaixonante, cheio de emoções! E é isso! Parem de querer fazer tempestade em copo d''água", avisou o atleta, que já se prepara para a próxima etapa, também na Austrália. O Rip Curl Pro Bells Beach será realizado de 1º a 12 de abril, no sul do país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.