Medina supera Slater e Fanning e avança às quartas em Jeffreys Bay

Num aguardado duelo na etapa de Jeffreys Bay, Gabriel Medina derrotou de uma só vez o norte-americano Kelly Slater e o australiano Mick Fanning neste sábado para avançar direto às quartas de final da etapa da África do Sul do Circuito Mundial de surfe. Slater e Fanning ainda têm chances de classificação. Vão disputar a repescagem.

Estadão Conteúdo

18 de julho de 2015 | 16h02

O confronto entre Medina, Slater e Fanning reuniu nada menos que 15 títulos mundiais. O americano lidera a lista, com 11 troféus. O australiano tem três conquistas e o brasileiro se sagrou campeão pela primeira vez no ano passado.

"Eu sabia que seria difícil. Nós não tivemos muitas baterias juntos antes. Eu achei que as ondas estariam melhores hoje, mas está complicado lá fora. Está difícil encontrar as melhores ondas, mas, por sorte, eu passei. Estou muito empolgado por surfar com esses caras. Eu tenho acompanhado eles desde que comecei no esporte e competir contra eles é um sonho que se tornou realidade", comentou Medina, ao fim da disputa neste sábado.

O brasileiro levou a melhor sobre os famosos rivais ao obter a média de 12,90. Slater ficou em segundo, com 12,27, na bateria. E o australiano registrou 9,94 pontos. Os dois derrotados neste sábado vão disputar no domingo a repescagem. Slater vai enfrentar o francês Michel Bourez, enquanto Fanning terá pela frente Keanu Asing, do Havaí.

Nas outras baterias deste sábado, Adriano de Souza, o Mineirinho, e Alejo Muniz avançaram direto para as quartas de final, assim como Medina. Com 13 pontos, Mineirinho desbancou o compatriota Wiggolly Dantas (12,57) e o norte-americano Nat Young (8,77). Wiggolly e o surfista dos Estados Unidos vão disputar a repescagem. O brasileiro vai enfrentar o australiano Julian Wilson na briga pela vaga nas quartas.

Alejo Muniz, por sua vez, obteve 14,34 pontos e superou o havaiano Keanu Asing (14,04 pontos) e o francês Michel Bourez (11,27).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.