Medo faz esporte mudar calendário

Jogos cancelados, expectativa, medo. Estes são os primeiros reflexos no esporte do iminente ataque dos Estados Unidos contra o Iraque. Futebol e beisebol já alteraram suas programações. Outras modalidades também estudam mudanças. No futebol, a Fifa já havia adiado o Mundial sub-20, que deveria acontecer no Catar a partir do dia 29. Na terça-feira, a Federação Espanhola cancelou o amistoso que Argentina e Austrália disputariam em 1º de abril, em Palma de Maiorca, em função da situação de ?convulsão mundial?. O governo espanhol apóia os EUA. Na expectativa está a seleção japonesa, do técnico Zico, que tem dois amistosos marcados nos Estados Unidos: dia 26, com o Uruguai, e dia 29, com os EUA, em Seattle. Os japoneses decidirão nesta sexta-feira se cumprem os compromissos. ?A ameaça de ataques terroristas nos Estados Unidos podem alterar nossos planos??, avisou o secretário-geral da Federação Japonesa, Takeo Hirata. Confirmado está o jogo desta quinta-feira entre Besiktas e Lazio, em Istambul, pela Copa da Uefa, apesar de a Turquia ser vizinha do Iraque. Os italianos protestaram. ?Não creio que seja bom jogar num local onde, alguns quilômetros mais à frente, está ocorrendo uma tragédia?, disse o presidente da Lazio, Ugo Longo. ?Não é sempre que o show deve continuar?, completou o técnico Roberto Mancini. A RAI anunciou que não vai transmitir o jogo. Já a Irlanda do Norte não quer jogar dia 29 contra a Armênia, em Erivan, pelo Grupo 6 classificatório da Eurocopa. No beisebol, a liga profissional dos EUA, cancelou a abertura da temporada 2003, que seria realizada em Tóquio, Japão, dias 25 e 26, com jogos entre os Marinheiros de Seattle e os Atléticos de Oakland. ?Seria terrível para todos os envolvidos com as partidas estarem longe de suas famílias em um momento tão crítico?, justificou o dirigente Bud Selig. Mas os americanos resolveram manter a programação de várias competições. Com cuidados redobrados. A NBA anunciou que vai reforçar a segurança durante os jogos de basquete. Mas não está descartada a hipótese de adiar partidas, se a situação se agravar. O GP da Indy Racing League, domingo em Phoenix, foi mantido, apesar do temor de alguns pilotos. ?Se eu pudesse, ficaria no Brasil porque a situação nos EUA deve estar tensa. Mas estou sob contrato?, disse Ayrton Daré, piloto de testes da A. J. Foyt. Também está confirmado o Mundial de patinação artística, a partir de segunda-feira em Washington. ?Vamos fazer o campeonato mais seguro de todos os tempos?, afirmou a chefe da organização, Jean Davis. Detalhe: os presidentes honorários do Comitê Organizador são o presidente George W. Bush e sua mulher.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.