Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Meia gaúcho cava lugar em Londres e no Mundial de 2014

Flamenguista pretende participar da Olimpíada e Mano dá a entender que vai levá-lo, além de contar com ele na Copa

ST. GALLEN, O Estado de S.Paulo

28 de fevereiro de 2012 | 03h05

Salvo grandes imprevistos, os três jogadores com mais de 23 anos que vão se juntar à seleção brasileira nos Jogos Olímpicos de Londres estão no grupo que joga hoje contra a Bósnia Herzegovina. A garantia foi dada pelo técnico da seleção, Mano Menezes. Mesmo muito longe de seu auge, Ronaldinho, por exemplo, vai. Já Kaká parece mesmo ter perdido espaço.

Quem evocou o assunto dos "veteranos'' escolhidos para integrar a delegação que vai a Londres foi o próprio técnico. Em sua rápida coletiva antes do treino em St. Gallen, Mano disse que não vai abrir mão de ter o máximo de experiência que o time pode levar, pelo regulamento da competição. "Temos três vagas, vamos aproveitá-las'', disse, adicionando um detalhe: "É bem provável que os três jogadores acima de 23 anos que estarão na Olimpíada estejam aqui''.

Com isso, Kaká, em baixa no Real Madrid, deve ficar de fora da equipe olímpica. Até porque Mano escolheu Ronaldinho como um dos maestros de seu time. Ontem pela manhã, o craque do Flamengo já havia reiterado aos jornalistas brasileiros o desejo de ir a Londres. "É uma grande competição. Claro que estou motivado para chegar lá'', garantiu o ex-melhor do mundo, hoje com 31 anos e veterano de duas olimpíadas, em 2000 e 2008. "Vou fazer a minha parte para participar.''

Ao tomar conhecimento das declarações de Ronaldinho, Mano se mostrou satisfeito e antecipou que ele também deve fazer parte do grupo para a Copa do Mundo de 2014. "Gosto de jogadores que queiram estar. Todos sabem que consideramos uma etapa importante. Ele provavelmente vai estar em 2014. Se vai estar em 2014, é importante que esteja na Olimpíada, porque faz parte da preparação'', justificou o treinador.

Convocações. Um dos desafios da CBF para os próximos meses será convencer os clubes a liberarem seus atletas para os amistosos, justamente nessa etapa considerada crucial do trabalho de Mano. O diretor de seleções da CBF, Andrés Sanchez, disse ontem que vai negociar com os clubes e pretende ter todos os jogadores à disposição com 10 ou até 12 dias de antecedência para os Jogos Olímpicos, durante o período de treinamento da equipe.

"A seleção não vai abrir mão de ninguém, desde que seja conversado antes. A prioridade hoje diante da Olimpíada é a seleção'', advertiu Andrés. "Mas nós também temos de entender o lado dos clubes. Vai ter de ser feita uma negociação de ambas as partes. Todo mundo na CBF entende os problemas dos clubes e vamos ter de fazer as coisas bem feitas.'' / A.N.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.