Melhora a situação dos torcedores presos na Bolívia

A confissão do menor de 17 anos, na segunda-feira, não garantiu a liberdade dos doze torcedores corintianos, mas contribuiu para a melhoria do clima entre brasileiros e bolivianos.

O Estado de S.Paulo

28 de fevereiro de 2013 | 02h09

A embaixada avalia que a confissão do autor do disparo do sinalizador que matou o boliviano Kevin Beltrán teve um efeito positivo na relação entre os presos na penitenciária de San Jose.

O fato também foi identificado pela imprensa local: "Os brasileiros não são mais chamados de assassinos", escreveu o diário La Pátria, de Oruro.

"Aumentaram as manifestações de solidariedade", comemora o ministro conselheiro Eduardo Sabóia, da embaixada em La Paz, que aguarda o julgamento de um recurso contra a prisão preventiva dos torcedores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.