Meligeni culpa falta de revelações para manter veteranos

Nem mesmo a facilidade no caminho para recolocar o Brasil na fase principal da Copa Davis de tênis no ano que vem animou o técnico Fernando Meligeni a falar em renovação da equipe. O capitão brasileiro culpa os novos valores e cobra maior empenho desses jogadores. ?Sempre vou escalar um time que possa ganhar?, disse. ?O tênis não é como o futebol em que a gente pode fazer amistosos e testar novos jogadores. A Davis é nosso mundial. Os nossos novos valores estão tendo a oportunidade da vida deles e não vejo empenho em muitos deles?, diz. ?Acho que até o final do ano, a gente teria de ter muito mais jogadores bem colocados no ranking?. O Brasil só tem um entre os cem, Tiago Alves. A indignação de Meligeni tem mesmo bons motivos. O Brasil em 2007 será um dos países com maior número de torneios válidos pela ATP. São mais de 30 competições, quase uma por semana, com isso praticamente não é necessário viajar para os EUA ou Europa para acumular pontos. A situação é mesmo intrigante. Só neste ano são mais de US$ 1 milhão em prêmios nas várias competições realizadas no país. O segundo semestre promete, com um nível mais elevado de torneios e com a disputa da Copa Petrobrás, lançada esta semana em Buenos Aires, que não exigirá longas viagens dos tenistas brasileiros. São seis etapas, com quatro em países vizinhos (Colômbia, Uruguai, Paraguai e Argentina) e outras duas no Brasil: Aracaju e Rio. Só neste torneio há mais de meio milhão de dólares em jogo e centenas de pontos no ranking. Uma etapa apenas dá ao campeão 70 pontos.

Agencia Estado,

28 Setembro 2006 | 16h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.