Mente humana é insuperável, diz Karpov

Os confrontos entre homem e computador são cada vez mais freqüentes no esporte, principalmente no xadrez, no qual houve grande avanço dos programas simuladores de jogos nos últimos anos. Mesmo com a tecnologia, a mente humana ainda é insuperável. Mas não por muito tempo. Essa é a opinião de Anatoly Karpov, ex-campeão mundial de xadrez, que estará em São Paulo até terça-feira, para ajudar a divulgar o xadrez e no lançamento do Desafio SP 450 Anos, que reunirá mestres internacionais e brasileiros em 2004. "É possível que um dia os computadores superem o homem, porque até mesmo os melhores jogadores do mundo têm dias bons e ruins. A máquina, não: atua da mesma maneira, ininterruptamente", comparou Karpov, de 52 anos, que destaca a rápida evolução da informática. "O primeiro desafio ocorreu há alguns anos, quando quatro enxadristas enfrentaram, simultaneamente, 100 computadores. Sem esforço, as máquinas foram derrotadas, pois eram três vezes mais lentas que o homem para processar as informações. Hoje, não existe mais essa facilidade." Na terça-feira, o maior rival de Karpov, o também russo Gary Kasparov, após 27 movimentos, empatou um jogo contra o programa de computador X3D Fritz, nos Estados Unidos. Karpov diz ter feito poucas partidas contra computadores. "Testei alguns programas, mas sempre venci." A visita de Karpov, sua terceira ao Brasil, tem por objetivo incentivar a prática do xadrez nas escolas públicas de São Paulo. A Prefeitura da cidade, em parceria com a Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer do Estado e a Federação Paulista de Xadrez, lançou o programa Xadrez e Damas em Tampinhas, que consiste na troca de garrafas pets por tabuleiros e adesivos das peças para as tampinhas. Para um tabuleiro, cada criança deve recolher 56 garrafas, destinadas à reciclagem, e trocá-las nas escolas onde estiver funcionando o programa. Campeão mundial pela primeira vez em 1975, aos 23 anos, Karpov será o principal nome no Desafio 450 Anos, confronto que reunirá, em 2004, outros grandes enxadristas internacionais, como Gary Kasparov, Judith Polgar e os brasileiros Rafael Leitão, Gilberto Milos Júnior e Giovanni Vescovi. "É importante incentivar o intercâmbio com outros países e aumentar a chance de os brasileiros participarem de torneios internacionais", disse Giovanni. Karpov também é embaixador da Unicef no Leste Europeu e trabalha para incentivar a adição do iodo à alimentação humana. Seu parceiro é o ator Roger Moore, que interpretou 007 no cinema."Quem um dia poderia pensar que o 007 e um russo trabalhariam juntos ?", brincou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.