Mentira leva ex-técnico de Marion Jones para prisão domiciliar

O técnico de atletismo Trevor Graham, que já trabalhou com Marion Jones e Justin Gatlin, foi condenado a um ano de prisão domiciliar por ter mentido aos agentes federais americanos que investigam o esquema de doping dos laboratórios Balco.Graham teria sido o autor da denúncia anônima que trouxe à tona o caso, enviando à agência americana antidoping uma seringa com a substância denominada clear, até então indetectável.A substância estava diretamente ligada ao laboratório, com base na cidade californiana em San Francisco e fundado por Victor Conte.Ex-treinador de Jones, Gatlin e Tim Montgomery, entre outros atletas punidos por doping, Graham foi banido do esporte em julho pelas autoridades antidoping americanas.Graham é a segunda pessoa ligada ao esporte que vai à prisão por envolvimento no caso. Há duas semanas, a ex-ciclista Tammy Thomas foi condenada a seis meses de prisão domiciliar também por perjúrio e obstrução à Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.