Merritt comemora chance de defender título olímpico

O norte-americano LaShawn Merritt não escondeu a surpresa com a decisão da Corte Arbitral do Esporte (CAS) que o liberou nesta quinta-feira para defender o título olímpico dos 400 metros nos Jogos de Londres, em 2012. Ele estava proibido de competir pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) desde que foi flagrado em exame antidoping, em 2009.

AE, Agência Estado

06 de outubro de 2011 | 17h48

A decisão da CAS, instância máxima da justiça desportiva, anulou uma polêmica regra do COI que tinha sido criada em 2008. O tribunal considerou "inválida e inaplicável" a determinação imposta pela entidade de que atletas condenados a mais de seis meses de suspensão por doping não possam disputar a edição seguinte da Olimpíada.

Merritt completou seus 21 meses de suspensão em julho deste ano. Ele foi flagrado por ter consumido uma substância proibida num remédio para aumentar o tamanho do seu pênis. Foi sua punição que motivou o Comitê Olímpico dos Estados Unidos a entrar com a ação na CAS para reverter a regra do COI.

Aliviado pela decisão, o norte-americano revelou que ficou com medo de receber a notícia do seu empresário. "Sabia que o julgamento do caso seria hoje. Não queria atender ao telefone", contou o corredor. "Hoje é um grande dia para mim. Não há nada melhor do que poder voltar a competir e defender o meu título na Olimpíada", festejou.

Merritt contou também que ficou em choque quando recebeu a notícia da sua liberação. "Por alguns minutos, eu fiquei em choque", disse o atleta, de 25 anos, que disse ter aprendido com a experiência negativa. "Foi um erro. Eu era muito jovem. Erros acontecem. Agora só quero manter essa história no passado e seguir em frente", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
OlimpíadaCASdopingLaShawn Merritt

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.